terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Tara Branca e Tara Verde



Enviado por Alice,

bjs

Sílvia







TARA

Até os primeiros anos da era cristã, o princípio masculino reinava, supremo e tranqüilo, tanto no budismo quanto no bramanismo. As divindades hindus, herdadas e assumidas pelo budismo, eram quase que exclusivamente masculinas. Os budas e bodhisattas, pertencentes ao budismo Mahayana em seus primórdios eram quase inteiramente masculinos.

As primeiras divindades femininas a aparecer no budismo Mahayana foram Tara e Prajnaparamita. Tara, a Salvadora, aparecendo no século II, representa a epifania da Grande Mãe cujo culto se estendeu, em tempos antigos, sobre o vasto território afro-egeu-asiático e sempre foi adorada pela camada pré-ariana da população da Índia.

Foi durante o primeiro milênio da era cristã, que os ensinamentos místico0ocultos do tantrismo se espalharam pela índia, obliterando muitas das diferenças entre o hinduísmo e o budismo. Muitas divindades hindus foram incluídas no panteão budista como bodhisattvas e dharmapalas (Defensores da Doutrina).

No posterior budismo tântrico, especialmente o Vjarayana (Caminho do Diamante), que sobreviveu apenas no Tibete, cada divindade masculina foi presenteada com uma parceira feminina, como no hinduísmo, mas os significados filosóficos são diferentes. No hinduísmo, a divindade feminina representa a parceira ativa, a shakti (poder ou energia), do Senhor Shiva, que sem ela teria permanecido no sono profundo do Absoluto. O budismo reverte esses papéis de acordo com a filosofia mística do Prajnaparamita (discursos do Buda). A divindade feminina não é shakti, mas prajna (sabedoria), que é identificada como "shunya" a Vacuidade. Prajna é o que concorda, o passivo, o contemplativo. Os Budas e as divindades masculinas são os parceiros ativos, simbolizando karma (compaixão) e upaya (método ou habilidades), as características fundamentais de um bodhisatta.

A união mística das dualidades do mundo e especialmente a união inseparável da sabedoria, o princípio feminino, e da compaixão, o princípio masculino, é vivamente simbolizada na arte e no ritual tibetanos, de forma mais forte talvez pelo vjara e pelo sino, e também pelo abraço sagrado das divindades, chamadas em tibetano de yab-yum (pai-mãe). Com o auxílio desses símbolos, o adepto da meditação transcende as dualidades dentro de sua própria natureza. A síntese final entre compaixão e sabedoria leva à percepção do Absoluto.

NASCIMENTO DE TARA

Se conta, que Avalokiteshavara, o Buda da Compaixão, que em profundo pesar ante os sofrimentos do samsara, lhe caíram lágrimas dos olhos, lágrimas essas que formaram um lago. Do fundo do lago emergiu uma flor de lótus. Quando o botão se abriu, uma maravilhosa divindade feminina saiu de dentro dela. Era Tara, que em sânscrito, significa "estrela". A nobre Deusa Tara é descrita como "da cor da lua, calma, sorridente, sinuosa, irradiando luz de cinco cores..." Tara, filha de Avalokiteshavara, tem beneficiado muitos seres, manifestando-se de varias formas e realizando varias atividades através de estados particulares de concentração. A sua terra pura chama-se “harmonia das folhas de turquesa”.

Tara possui inúmeras personalidades que se expressam de acordo com a necessidade e a diferença entre essas manifestações está na cor.

Todas as divindades femininas budistas, possuem também seus aspectos pacífico e agressivo. Em seu aspecto pacífico, as divindades, tanto masculinas quanto femininas, usam coroas, jóias, mantos bordados em pedestais de lótus e possuem halos e auras de raios de luz. Em seu aspecto agressivo, elas tendem a ter poses dinâmicas e estatura alta e aparecem lutando contra demônios, a testa franzida, tendo emblemas e ornamentos terríveis, envoltas em chamas.

No Vajrayana, cada divindade ocupa seu lugar na hierarquia divina, além de possuir seu mantra, sua mandala (esfera de influência, simbolizada por um diagrama cósmico), seus próprios assistentes e mensageiros. Cada uma é reconhecida por seu posto, cor de pele, o número de cabeças e membros, "mudras", suas roupas, emblemas, ornamentos e acessórios. Tudo isso deve ser visualizado com clareza e precisão pelo adepto para que a divindade possa se manifestar.

TARA BRANCA(Sânscrito: Sitatara; Tibetano: Sgrol-dkar)






Nesse seu aspecto branco, Tara senta-se na pose de Buda, a mão direita formando o "mudra" da caridade ou concedendo presentes, e a mão esquerda erguida, segurando o cause de uma flor de lótus (seu emblema distintivo), que floresce sobre seu ombro. Ela possui sete olhos de sabedoria, um no centro da testa, um na palma da mão e um na sola de cada pé. A Tara Branca também possui uma versão dinâmica e levemente agressiva, com mil braços, cabeças, olhos e pés, chamada Ushnishasitatapatra, a Deusa da Sombrinha Branca.

Tara Branca é chamada, ás vezes, a Mãe de todos os Budas e representa o aspecto maternal da compaixão. Sua cor branca significa pureza, sabedoria e verdade.

A Tara Branca aumenta as expectativas de vida. Está relacionada à longevidade e a tudo que esse processo implica. É dessa forma, toda branca, que ela nos conduz aos estados de auto-conhecimento e iluminação profundos. Na prática religiosa a Tara Branca ajuda seus seguidores a superar obstáculos, especialmente aqueles que inibem a prática da religião.

MANTRA: OM TARE TUTTARE TURE

TARA VERDE

(Sânscrito: Syamatara; Tibetano: Sgrol-ljang)




A Tara Verde é representada sentada sobre uma flor de lótus emergindo de um lago, tal como se diz que ela emergiu das lágrimas de Avalokiteshvara. Sua cor como seu nome indica que é verde. Sua mão direita faz o "mudra de dar", indicando sua habilidade para dar a todos os seres o que necessitam, enquanto sua mão esquerda colocada em seu coração faz o "mudra de dar refúgio". Em cada mão sustêm o talo de uma flor de lótus com uma flor aberta e dois botões que indicam o alcance de sua atividade no passado, no presente e no futuro.

Veste roupas reais, multicoloridas e uma blusa ornamentada com jóias. Na cabeça há uma tiara com jóias e um rubi ao centro que simboliza a Amitabha, seu pai espiritual da família búdica do lótus. A perna esquerda encolhida sobre o lótus indica sua renúncia as paixões mundanas, a perna direita estendida y saindo da flor, indica sua presteza para acudir e ajudar todos os seres.

A Tara Verde encarnou como Nepali, esposa do rei tibetano Srong-brtsan-sgam-po. No Budismo a cor verde está associada com atividade e realização. A Tara Verde deve ser invocada para remover obstáculos, para proteção e em situações de medo.

INVOCAÇÃO: Para invocar a força da Tara Verde, concentre-se na questão e peça clareza à divindade. Visualize Tara como uma forte luz verde-esmeralda a sua frente, enquanto recita ou canta o mantra:

OM TARE TUTTARE TURE SOHA

Concentre-se no pedido, visualize a luz verde a sua frente se intensificando e penetrando no topo de sua cabeça. Enquanto ela entra em seu corpo, purifica suas dúvidas e medos. Quando se sentir calmo e seguro, veja a luz verde descer, passando pela garganta até fundir-se com seu coração. Permaneça nesse estado o tempo que puder, cultive o sentimento de confiança de que sua meditação foi realizada com sucesso e seu pedido será atendido ou o problema solucionado. Para finalizar, dedique essa energia a todos os que necessitam da positividade que você acumulou fazendo a meditação.

A Lua e a Menstruação

Enviado por Liz

A LUA E A MENSTRUAÇÃO
Rosane Volpatto

A cada 28 dias a Lua completa seu ciclo de crescente a minguante. A Lua Nova marca a primeira iluminação e um fiapo fica visível no céu noturno. A Lua então cresce até o primeiro quarto, quando se pode visualizar a metade de seu disco. Continua a crescer e completa-se até atingir a Lua Cheia. Neste ponto, começa a diminuir de tamanho até o terceiro quarto, quando novamente só se vê a metade do disco e continua assim até que não se veja mais seu disco. Em quinta fase, esta Lua Escura dura três noites e esta, é este é o mais poderoso de todos os ciclos da Lua.

A Lua, com seu ciclo de nascimento, crescimento e morte, é um lembrete poderoso, todos os meses, da natureza dos ciclos. Em épocas remotas, os ciclos menstruais das mulheres eram perfeitamente alinhados com os da Lua. A mulher ovulava na Lua Cheia e menstruava na Lua Escura. A Lua Cheia era o ápice do ciclo da criação, era quando o óvulo era liberado. Nos 14 dias que antecedem esta liberação, as energias da criação reúnem tudo que é necessário para constituir o óvulo. Quando passava a Lua Cheia e o óvulo não era fertilizado, tornava-se maduro demais e se decompunha, derramando-se no fluxo natural de sangue na Lua Escura. Quando a mulher vive em perfeita harmonia com a Terra, ela só sangra os três dias da Lua Escura. Quando a Lua Nova emerge, seu fluxo naturalmente deve cessar e o ciclo da criação é reiniciado dentro dela.

Em nossa sociedade atual, o uso de pílulas anticoncepcionais, fez com que a mulher deixasse de incorporar e compreender este ciclo de criação e destruição dentro de si.

Alguns índios norte-americanos, consideravam a Lua uma mulher, a primeira Mulher e, no seu quarto minguante ela ficava "doente", palavra que definiam como menstruação. Camponeses europeus acreditavam que a Lua menstruava e que estava "adoentada" no período minguante, sendo que a chuva vermelha que o folclore afirma cair do céu era o "sangue da Lua".

Em várias línguas as palavras menstruação e Lua são as mesmas ou estão associadas. A palavra menstruação significa "mudança da Lua" e "mens" é Lua. Alguns camponeses alemães chamam o período menstrual de "a Lua". Na França é chamado de "le moment de la luna".

Entre muitos povos em todas as partes do mundo as mulheres eram consideradas "tabu" durante o período da menstruação. Este período para algumas tribos indígenas era considerado um estado tão peculiar que a mulher deveria recolher-se à uma "tenda menstrual" escura, pois a luz da Lua não deveria bater sobre ela. O isolamento mensal da mulher, tinha o mesmo significado que os ritos de puberdade dos homens. Durante este curto espaço de tempo de solidão forçada, as mulheres mantinham um contato mais íntimo com as forças instintivas dentro de si.

Em tribos mais primitivas, nenhum homem podia se aproximar de uma mulher menstruada, pois até sua sombra era poluidora. O sangue menstrual, nesta época, era tido como contaminador. Acreditavam também, que a mulher menstruada tinha um efeito poluente sobre o fogo e se por algum motivo se aproximasse dele, esse se extinguiria. Ainda, de acordo com o Talmude, se uma mulher no início da menstruação passasse por dois homens, certamente um deles morreria. Se estivesse no término de seu período, provavelmente causaria uma violenta discussão entre eles.

Por vários motivos as mulheres acabaram impondo à si mesmas uma abstinência, muito embora, tanto nelas como nos animais, o período de maior desejo sexual é imediatamente anterior ou posterior a menstruação.

Na Índia, acredita-se ainda hoje, que a Deusa-Mãe menstrua. Durante essa época, as estátuas da deusa são afastadas e panos manchados de sangue são considerados como "remédio" para a maior parte das doenças. Na Babilônia, pensava-se que Istar, a Deusa Lua, menstruava na época da Lua Cheia, quando o "sabattu" de Istar, ou dia do mal, era observado. A palavra "sabattu" vem de sabat e significa o descanso do coração. É o dia de descanso que a Lua tem quando está cheia. Este dia é um percursor direto do sabá e considerava-se desfavorável qualquer trabalho, comer comida cozida ou viajar. Essas eram as coisas proibidas para a mulher menstruada. O sabá era primeiramente observado somente uma vez por mês e depois passou a ser observado em cada uma das fases da Lua.

Hoje, uma compreensão científica e objetiva já nos livrou de todos estes tabus, mas é bom lembrar que em certo momento histórico, inconscientemente, a natureza instintiva feminina podia provocar a anulação dos homens.


Bibliografia consultada:
O Casamento do Sol com a Lua. Raissa Cavalcanti. Editora Cultrix, São Paulo.
A Grande Mãe. Erich Neumann. Editora Cultrix, São Paulo.
As Deusas e a Mulher. Jean Shinoda Bolen. Editora Paulus, São Paulo.
Os Mistérios da Mulher. M. Esther Harding. Editora Paulus, São Paulo.
O Novo Despertar da Deusa. Organização Shirley Nicholson. Editora Rocco Ltda, Rio de Janeiro
Variações sobre o tema mulher. Jette Bonaventure. Editora Paulus, São Paulo.



*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.


Ritual de Auto-Iniciação ( para bruX@s solitári@s )

Comece despindo toda sua roupa e prepare-se para seu banho
ritualístico, previamente perfumado ou com ervas - simbolizando o elemento
água - para purificar seu corpo e espírito de qualquer vibração negativa.
Durante o banho, limpe sua mente de todos os pensamentos desagradáveis da vida moderna, e procure meditar, deixar a mente vazia até que se sinta
completamente relaxado e limpo. Logo em seguida, saia do banho e trace um círculo mágico com mais ou menos um metro e meio de diâmetro, usando um giz, o dedo ou uma linha branca. Salpique um pouco de sal - que representa o elemento terra - sobre o círculo para consagrá-lo e diga:

"Com o sal eu consagro e abençoo este círculo de poder, sob os
nomes divinos da Deusa e do seu Consorte, o Deus Cornífero.
Abençoado Seja!". Em frente ao círculo coloque duas velas brancas - que
simbolizam o elemento Fogo (ao sul) - e coloque também um incensório de
Olíbano com um incenso de Mirra ou de seu gosto pessoal (ao leste) - que
simboliza o elemento Ar - mantendo-os diante de você. Ao Oeste coloque a
taça com vinho ou água ou aquilo que você deseja trabalhar no ritual. Logo
após dispor estes elementos, sente-se no meio do círculo procurando estar
voltado para o Norte (coloque ali uma pepita de pirita ou pedra natural),
lembrando que você deve estar só e despido de roupas. Caso não se sinta
bem trabalhando sem roupa, procure usar uma veste cerimonial branca
(uma bata ou roupão branco). As duas velas servirão para invocação do
Deus e da Deusa assim como o incenso.

Acenda o incenso que está à sua frente, e logo em seguida
acenda uma das Velas brancas e diga:

"Eu te invoco e te chamo, oh Deusa Mãe, criadora da vida e da alma
do Universo infinito. Pela chama da vela e pela força do incenso eu te invoco para abençoar este ritual e para garantir a minha admissão na companhia
dos teus filhos amados. Oh bela Deusa da vida e do renascimento, que é
conhecida como Cerridwen, Astarte, Atenas, Brigida, Diana, Isis, Melusine,
Afrodite e por muitos mil outros nomes divinos, neste círculo consagrado à
luz de velas. Eu me comprometo a te honrar, a te ouvir e a te amar
escutando apenas sua voz interior que ecoará dentro de mim. Enquanto eu
viver prometo respeitar e obedecer a tua lei de amor à todos os seres vivos.
Prometo nunca revelar os segredos secretos da arte a qualquer homem ou
mulher que eu sinta que não merecem escutar a tua voz. Oh Deusa!
- rainha de todas as bruX@s - abro meu coração e minha alma para ti.
Assim seja."

Acenda a outra vela branca e diga:

"Eu te invoco e te chamo, oh grande Deus Cornífero dos pagãos,
senhor das matas verdes e pai de todas as coisas selvagens e livres.
Pela chama da vela e pela fumaça do incenso eu te invoco para abençoar
este ritual. Oh Grande Deus Cornífero da vida, da morte e de tudo o que
vem depois, que é conhecido como Cernunnos, Attis, Pã, Daghda, Fauno,
Frey, Odin, Lupercus e por mil outros nomes; neste círculo consagrado à
luz de velas, eu me comprometo a honrar e defender aos seres livres
como tu, a amar o meu oposto e a defender sua voz dentro de mim.
Oh! Grande Deus Cornífero da paz e do amor, abro meu coração e
minha alma para ti. Assim seja. "
Agora mantenha suas mãos abertas e voltadas para os Céus.
Feche seus olhos, visualizando dois raios de luz brilhante
(um dourado na sua mão direita e outro prateado na sua mão esquerda)
descendo dos Céus, penetrando nas palmas das suas mãos.
Uma sensação morna de formigamento se espalhará pelo seu corpo à
medida que o poder do amor da Deusa e o Deus purificam sua alma.
Procure não se assustar caso você comece a ouvir uma voz (ou vozes)
falando dentro da sua mente, como por telepatia. São a Mãe e o Pai
dentro de você, revelando sua presença. Permaneça no círculo mágico até
que as velas e o incenso terminem, assim encerra-se o ritual de
Auto-iniciação.
Note que nem todos os Wiccans escutam ou percebem as verdadeiras
palavras ditas pelas deidades e, neste caso, podem estar susceptíveis a
sentir a presença divina do amor da Deusa. Podemos salientar que é muito
comum que as deidades pagãs falem com o bruxo auto-iniciado,
especialmente se você for sensitivo.

Anjos e o Xamanismo




Enviado por Beth Bear,
beijos
Sílvia


Compartilhando...


Anjos e o Xamanismo:
Por Léo Artése
No mundo inteiro existem vários relatos de pessoas que, de alguma forma, foram tocados pela energia angélica.
Certa noite estava dormindo e me apareceu em sonhos um ser esguio iluminado por fachos de luzes coloridas como se tivessem sido cortadas por uma tesoura, e o ser ao se aproximar cada vez mais na minha direção me assustou de tal forma que acordei. Meu susto foi ainda maior, quando, ao abrir os olhos, vi que imagem ainda estava na minha frente, desfazendo-se pouco a pouco em pequenas pontos.
A primeira coisa que veio à minha mente foi que se tratava de um contato angélico porém não havia notado nenhum tipo de asas.
Uns dias atrás havia canalizado uma canção de poder que evocava a força dos Anjos:




A Força Dos Anjos






Eu recebi, que é para invocarProteção dos Arcanjos de Deus.Chamo os Anjos lá do Céu,Mensageiros de Meu Deus. Peço Paz pré não ter que lutar E coragem se a luta chegar. Defendei-me São Miguel Me ensine "Quem é Deus?"Esperança e revelaçõesAmor forte no meu coração.Dai-me Amor São Gabriel Força e Amor "Homem De Deus".Por Saúde Eu venho implorar E a todos os Seres de DeusVem curar São Rafael E Eu Sou "Curado Por Deus""Luz De Deus" venha me abençoar Traga Luz e minha inspiraçãoTransformai São Uriel Venha a mim, "Fogo De Deus"Todos os Anjos e Arcanjos do Céu Eu vos mando meu canto de amor E ao meu Anjo ProtetorCompanheiro e Guardião.

Desde a canalização deste hino, eu o tenho utilizado em meus rituais e recomendado aos meus alunos que o usem como uma invocação da energia angélica. Muito embora você não conheça a melodia, utilize esta canção como uma forma de meditação. Você notará uma diferença em seu campo energético, se colocar emoção na palavra. Alguns dias após essa canalização, quando então meditava em meu "Quarto Místico", escutei uma voz alongada que vinha do alto, com uma nitidez impressionante, ressoando em meu cérebro, como se estivesse dentro dele, que cantava:



ANAEL




Anael, AnaelGuardião meu mensageiro Lá do Céu.Anael a canção Que cantaste encheu de Amor Meu coração.Anael, protetor Peço a Vós, Luz, Paz, Saúde E muito Amor.Anael, Anael, Me ajude a cumprir O meu papel.


Ficou óbvio para mim que tinha que realizar a partir daquele momento um estudo mais aprofundado dos Anjos, e é exatamente o que estou procurando por em prática devagar. Portanto, este capítulo relata a pesquisa que venho efetuando, sem a mínima intenção de esgotar o assunto, e sim de compartilhar, até porque existe hoje um vasto material para consulta.
Americanos nativos narram o aparecimento de Anjos na forma indígena, relacionando-os também com deidades animais aladas.




Estabelecendo Contato com o Reino Angélico





Vá para um lugar tranquilo.
Queime sálvia ou outra erva para purificar o ambiente. Acenda uma vela, ou caso esteja na natureza faça uma pequena fogueira.
Elimine neste momento qualquer tipo de barulho, ou música. Fique em silêncio.
Marque seu espaço sagrado, visualizando um círculo de proteção à sua volta.
Deixe clara sua intenção. Enquanto estiver concentrado. Feche os olhos.
Faça três respirações lentas, aprofundando ainda mais o relaxamento..
Com os olhos fechados, concentre-se olhando acima, através do centro de sua testa (terceira visão).
Imagine que dos dedos de seus pés saem raízes, que vão penetrando na Terra.
Da mesma forma imagine de seu cóccix, sair uma raiz e penetrando na Terra.
A cada inspiração você absorve energia da Terra e a cada expiração você solta stress, tensões.
Imagine que a cada inspiração a energia vai penetrando por seu cóccix, na forma de um elixir branco, e subindo pela sua espinha energizando todos os túneis.
Após sentir-se totalmente energizado pela Terra, mantenha essa energia no seu coração.
Tente perceber que o seu coração bate como o toque de um tambor.
Visualize que do topo de sua cabeça, saem pequenos filamentos de luz, que o conectam com o Céu.
Imagine raios azuis celeste penetrando pelo topo de sua cabeça, espalhando-se por todo o seu corpo.
Após sentir-se energizado com a energia celeste, traga essa energia até o seu coração, onde permanece a energia terrestre.
Você agora vai unir em seu coração a energia do Céu com a energia da Terra.
Tente perceber sons de sinos, juntamente com os sons de tambores.
Concentre-se!
Deixe sua mente tranquila, para poder esperar por simbolos, sinais, cores, etc.
Coloque sua intenção de contatar a energia angélica. Não se afobe. Preste atenção nas possíveis respostas que vem do seu interior.



Trabalhando Com Os Arcanjos




Cada Arcanjo rege um dia da semana e uma virtude. Abaixo transcrevo a forma como faço as evocações para cada Arcanjo:
Primeiramente escolho uma vela simbolizando o Arcanjo e faço a unção com óleo. Acendo a vela ao lado de um copo de água e um incenso, preparando 0 equilíbrio do ambiente para o momento espiritual.
Em seguida, após acesa a vela leio o Salmo 91 de David, e inicio o trabalho:



Domingo
vela laranja, simbolizando o Sol e o Arcanjo Miguel. É o Guardião da Paz, e da harmonia. Traz sabedoria, defende-nos do mal.


Segunda
vela branca, simbolizando a Lua e o Arcanjo Gabriel. É o Arcanjo da Esperança, da Revelação. É evocado para a vida emocional, para os relacionamentos. Para o psiquismo e intuição.


Terça
vela vermelha, simbolizando Marte e o arcanjo Samael. É o Arcanjo da Justiça. Para obter coragem e vitalidade.


Quarta
vela verde, simbolizando o Arcanjo Rafael. É o Arcanjo do Corpo Físico e da Saúde. Evocado para cura.


Quinta
vela azul, simbolizando Júpiter e o Arcanjo Zadquiel. É o Arcanjo da Misericórdia Divina, pra pedir perdão e perdoar.


Sexta
vela rosa, simbolizando Vênus e o Arcanjo Anael. É o Arcanjo do Amor Incondicional.


Sábado
vela violeta, simbolizando Saturno e os Arcanjos Uriel e Metatron. Uriel é o Arcanjo da Transformação, é o Guardião da Mente, evocado também para questões de trabalho. Metraton é o Anjo da Nova Era, o Anjo Libertador.
Como disse Santo Agostinho: "Toda a coisa visível neste Mundo, está sob a responsabilidade de um Anjo. "

Cristais Pineais




Compartilho com vcs, minhas queridas, pela importância do tema...
Bjs
Beth Bear

Cristais Pineais

Neste exato momento estão ocorrendo eventos de re-ligação em seus corpos físicos, especialmente no cérebro. O corpo físico do ser humano está evoluindo e uma dessas importantes mudanças se dá na glândula pineal, embora não se limitem somente a esta localização específica, na qual cristais estão se formando... estruturas cristalinas do mineral chamado calcita... formando-se nos cérebros dos seres humanos em toda a parte. Estes cristais podem ser sintonizados para receberem freqüências eletromagnéticas. Vocês têm se comunicado entre si através de freqüências eletromagnéticas (ondas de rádio) que viajam através de seus corpos. Sem sequer perturbarem vocês, inúmeras freqüências eletromagnéticas atravessam seus corpos físicos neste momento, embora não estejam cientes delas. Mas isso está começando a mudar... Numa fase inicial, vocês poderão ficar hiper-conscientes, o que pode ser temporariamente problemático, mas a idéia é atingir a zona de conforto de cada um de vocês, de forma a ativarem a si mesmos. Não se trata porém de uma corrida, prezados! Queiram respeitar o tempo de cada um, sem forçarem seus corpos além do próprio equilíbrio deles... Mas vocês o conseguirão - e muito bem.

Os cristais que se formaram em seus cérebros lá estão já faz algum tempo. Em verdade, vocês iniciaram a segunda onda de capacitação há cerca de 60 anos, em cuja época estes cristais começaram a formar-se. Embora tenham se mantido dormentes em seus corpos à espera de ativação, a ciência médica já começou a vê-los. Podem-se inclusive observar fotos de cristais em formação na glândula pineal. A ciência médica os chama de “problemáticos”, pois eles parecem estar causando dificuldades e desafios para a estrutura fisiológica humana. E então vocês engolem a crença de que isso seria por causa de algo que possam ter feito de errado... Todavia lhes dizemos que este é um processo natural de sua evolução e incrivelmente empolgante, porque agora vocês realmente podem ver! Vocês têm discorrido sobre temas como comunicação interior e telepatia, tendo inclusive procurado exercitá-las. Ainda que muitos saibam serem verdadeiras, tais habilidades sempre ficaram um pouco fora de alcance para a maioria das pessoas, porém não mais... Como pois ativar estes cristais e utilizá-los para os seus propósitos mais elevados? E, mais importante ainda, como sintonizá-los em uma estação específica de cada vez? Este é o desafio sobre o qual muitos de vocês se debruçarão ao ativarem esses cristais. Os cristais estão vivos; a Terra é um ser vivo. Ela é um ser senciente e muito consciente. E como os cristais são os mais elevados níveis vibracionais do reino mineral, pode-se facilmente depreender que os cristais são o cérebro do planeta Terra. Mais precisamente, de fato, os cristais são a glândula pineal do planeta Terra. Os cristais com os quais vocês estão mais familiarizados constituem o mais elevado nível vibracional do reino mineral. E esta é a razão pela qual muitos de vocês falam com cristais, deles recebem mensagens e neles mantêm registros. Você expressam a maior gama vibracional do reino animal, assim como os cristais irradiam a mais alta freqüência no reino mineral.


Os seres humanos estão se tornando Cristalinos.

Vocês já ouviram falar sobre as Crianças Cristal e Índigo que chegam à Terra com suas faculdades telepáticas já “embutidas”... Elas ainda não sabem como utilizá-las, mas com um pouco de dedicação seus sistemas de comunicação interna lhes permitem melhor sintonizá-las e aplicá-las. Vocês também as possuem e é aí que entram esses cristais. Quando vocês aprenderem a usá-los e adaptá-los, isso exercerá um efeito muito interessante sobre a humanidade. Entretanto, não é apenas sobre o reino humano que estamos falando. Pois se vocês repararem na estrutura celular da vida vegetal, perceberão que as plantas, cada vez mais, também se tornam cristalinas em sua natureza. Plantas e animais estão começando a assumir características energéticas cristalinas, de uma maneira jamais vista antes neste planeta. E isto faz parte de sua evolução natural: vocês estão se tornando cristalinos.

Mas esta não é uma transição difícil. Se atentarem para sua própria tabela periódica, lembrar-se-ão de que as estruturas químicas que vocês atualmente possuem (com base no elemento carbono) e as estruturas com base no silício estão na realidade a apenas alguns átomos de distância umas das outras. Com alguns rearranjos, é possível migrar destas para aquelas. Isso está acontecendo em toda a Terra: nas plantas, nos insetos, nos animais, cujos reinos estão assumindo estruturas cristalinas. É interessante observar que chegará um momento em que vocês não mais precisarão destes cristais físicos e eles começarão a dissolver-se. Trata-se pois de condições temporárias para vocês, mas nesta época presente eles estão em plena formação.

Tem ocorrido a formação de depósitos de cálcio nas glândulas pineais da maioria dos seres humanos por uma série de razões. Sua ciência supõe que isso tem a ver com o flúor presente em sua água encanada. Quando os telefones celulares começaram a ser utilizados no planeta, por exemplo, evidenciou-se a formação de tumores nos primeiros usuários, o que gerou inúmeras discussões. Embora tenha sido algo bastante real, não chegou a se materializar como o enorme problema que havia sido anunciado. A glândula pineal humana era, de fato, vulnerável àquelas novas freqüências pulsando tão junto ao corpo, porém isso também é algo que já se transformou. Por causa do apelo em massa pelos recursos da telefonia celular, o corpo humano adaptou-se e aprendeu a harmonizar-se com aquelas freqüências. E vocês estão começando a adaptar-se de várias outras maneiras. As adaptações iniciais se deram em função do instinto de sobrevivência e em um nível inconsciente. Agora, contudo, você poderão aprender a sintonizar-se em níveis conscientes, tornando-se capazes de se comunicarem não somente entre vocês mesmos, como também com o resto da Terra. Vocês serão capazes de conversarem através de cristais, algo que vocês ativarão de múltiplas maneiras, embora as evidências físicas já estejam se mostrando em todo o planeta, com toda a humanidade, com as pessoas mais velhas e também com as mais jovens



Percepção e Economia

Abordemos agora outra questão importante: a estrutura econômica de seu planeta. Todos vocês atravessaram grandes mudanças nas economias da Terra nestes últimos meses. Vocês já esperavam por tal situação e dela sabiam havia algum tempo, pois vinham falando sobre novas estruturas, novas abordagens e novas maneiras de lidarem com o dinheiro - novas e emocionantes idéias. Pois isto está acontecendo agora e as oportunidades estão se abrindo. A partir da nossa perspectiva, muitas economias da Terra pareciam balões cheios de ar quente, uma figura de linguagem para dizer que um balão cheio de ar quente aparenta ser muito maior do que realmente é. E o maior destes balões era o próprio sistema econômico dos Estados Unidos, do qual escapou bastante ar... Mas isso foi realmente fantástico, porque o que está se vendo é a possibilidade de se construir sobre uma base mais estável. Mesmo que aquela aparência acolchoada tenha desaparecido, ainda sobrou algum ar no balão. Muito em breve um novo evento se dará (e é por isso que estamos falando deste assunto) e que exercerá significativo impacto em sua estrutura econômica. O que estamos tentando lhes dizer é que a sua estrutura econômica se baseia somente em percepções. Há pouca base factual na maioria de suas estruturas econômicas. Nada há de errado nisso, pois foi assim que vocês escolheram jogar. Quando o Guardião [Steve Rother] começou a receber informações de nós, ele disse, “Agora conto com esses seres falando por sobre meus ombros e que podem ver tudo. Vou perguntar a eles sobre o mercado de ações.” E nós rimos histericamente. Achamos hilariante que ele nos perguntasse sobre o mercado de ações, pois este é um jogo humano dentro de um outro jogo dentro de outro jogo, com base na percepção de uma percepção de outra percepção. Como prever aonde ele vai dar? Achamos mesmo muito engraçado. Trata-se de um jogo criado por vocês e vocês é que definem como jogá-lo. Somente os criadores do jogo poderiam fazer previsões sobre ele, embora vocês mesmos não estejam se saindo muito bem com ele... Sim, vocês podem jogar esse jogo neste nível vibracional, mas ninguém mais pode. Entretanto, falaremos um pouco mais sobre isso, pois se trata de uma peça importante.



SEM MAIS SEGREDOS

Todas as economias se baseiam em percepções e vocês estão prestes a afastarem parte deste véu e verem coisas que nunca viram antes. E isso acontecerá em muitas e diversas áreas. Vocês descobrirão coisas sobre o evento ao qual chamaram 9-11, assim como sobre várias das estruturas que estiveram ocultas neste planeta. O véu está sendo erguido e por isso não haverá mais segredos no planeta Terra. Simples assim. Mesmo que muitos de seus líderes ainda não o saibam completamente, eles estão rapidamente descobrindo não mais ser possível estar totalmente sem integridade e conseguir sustentar-se diante de seres telepáticos no planeta Terra. E hoje é isso o que muitos de seus governos estão descobrindo, como o do Irã. Eles estão percebendo que todos os olhares se voltam para eles e que, portanto, ou as mudanças acontecem ou eles irão se desintegrar. É tão simples... Pode ainda levar algum tempo, mas este é o processo que está se desdobrando e do qual faz parte tudo aquilo que vocês criaram para se comunicar, seja através do telefone, da televisão, da Internet e de todas as outras peças deste cenário. Vocês estão na verdade conectando corações e agora serão também capazes de fazê-lo através da glândula pineal, de tal maneira que toda esta evolução acabará por dispensar a própria tecnologia. A prática lhes permitirá liberar alguns desses componentes externos e realizar tudo internamente.

E eis que um evento sobrevirá ao planeta Terra e que será de grandes proporções. Toda a verdade precisa ser exposta e se dará de fato uma espécie de revelação. Vocês verão e sentirão a verdade, mesmo que ninguém a confesse ou admita. Os seres humanos, em todos os lugares, estão começando a ver a verdade em si mesmos. Em função de muitas mentiras e desvios de energia, aconteceram muitas coisas que não se tornaram de conhecimento público e serão exatamente elas a serem agora iluminadas. Todos vocês rapidamente começarão a perceber e a conhecer tudo o que ocorreu e transpareceu. Mas a forma pela qual o mundo em geral vier a perceber tudo isso é que determinará o futuro imediato da economia global, a começar pelos Estados Unidos, rapidamente se espalhando para o resto do mundo. Pois sendo vocês Um, não somente seus corações são permanentemente unidos, como também suas economias se entrelaçam, o que é muito saudável.

O Fim da Separação

Vocês estão começando a ver que ninguém está realmente só. Ninguém pode segregar-se completamente e são tais ilusões de separação que silenciosamente vêm minando e matando a humanidade. Mas agora é a hora de apertar o botão "re-set", buscando ver como vocês são semelhantes entre si, mais do que aquilo em que vocês divergem. E assim conseguirão ver que outros estão trilhando o mesmo caminho que vocês, para quem poderão estender a mão e dizer: “Venham! Encontramos uma porta! Vamos atravessá-la juntos!” Pois é isso o que está acontecendo no planeta Terra neste exato momento.

Tal ativação em breve se dará, pois a massa crítica da verdade está sendo alcançada. As pessoas exigem que a verdade seja dita. O resultado final não importará muito, pois será a percepção deste evento que determinará o futuro de sua economia nos próximos dez anos. Porém, quando contemplarem seu passado e sua história, perceberão as grandes mudanças que agora ocorrem com cada um de vocês.

Vocês se tornarão ainda mais multidimensionais com a ativação desses cristais, pois eles não existem em uma dimensão somente. Eles são de natureza multidimensional, assim como o são todos os cristais. E à medida em que mais deles fizerem uso, sentir-se-ão mais confortáveis e fortes com isso, além de conscientes e seguros, com a sensação de nunca estarem sós neste planeta, o que dará aos espíritos fingindo serem humanos mais confiança do que jamais tiveram, integrando mais e mais seus espíritos em seus corpos do que jamais foi imaginado possível quando inicialmente desenvolveram estas formas físicas. E na medida em que isto acontecer, você se adaptarão ainda mais. Sim, este é um período de adaptação e até mesmo de... agüentar alguns trancos. Tempo de encontrar a luz na própria escuridão... alcançar sua luz interior e sua paixão. Mover-se nesta direção, mesmo que apenas levemente, mudará suas vidas da noite para o dia.
Daqui testemunhamos algumas de suas lutas, suas dores e sua solidão. Sentimos suas energias, quando às vezes não conseguem encontrar vibrações complementares para validarem suas próprias vibrações. Nós sabemos que vocês às vezes se acham muito sós, mas isso não seria possível, mesmo que tentassem. Então nos aproximamos e lhes fazemos cócegas, apenas para lembrar-lhes de que estamos aqui e porque lhes amamos mais do que jamais saberão. Vocês estão alterando o curso do próprio universo. Vocês estão evoluindo Deus e muito nos orgulhamos de assistir aos seres humanos do planeta Terra tornando-se divinos. Seus campos energéticos se transformarão. Muitos de vocês são curadores ou professores de alguma modalidade. Portanto, quando encontrarem algo que funciona para vocês, compartilhem-no! Descubram maneiras de mostrá-lo a alguém mais. Movimentem essa energia e assim abrirão as portas para toda a humanidade passar.

Agora É Com Vocês!

Porém não se enredem nos dramas e medos, pois haverá vários... Muito ficou oculto no planeta Terra... Muitas das conspirações, que alguns pensaram fossem reais, poderão revelar-se verdadeiras. O desafio é ver as coisas como realmente são, ao invés de enredar-se no drama. Será difícil confiar nos líderes de qualquer tipo, imediatamente após o evento ou a revelação que acabamos de mencionar. E isso é ótimo, porque não são seus dirigentes que mudarão suas vidas, mas vocês mesmos. Vocês são os únicos que podem assumir a responsabilidade por isso, algo que vocês estão prestes a descobrir. Cada um de vocês tem a oportunidade de determinar o próprio destino enquanto essas energias se movem... Vocês podem estar em qualquer lugar que quiserem, assim como mudá-lo quando quer que o desejarem. Tudo de que precisam saber é que vocês têm escolhas e que estas se dão em um nível consciente.

Queridos amigos, suas energias têm se expandido muito rapidamente. Vocês são incrivelmente belos, levando tanta luz dentro de seus seres! E deixá-la transparecer, juntamente com a luz do Lar Primordial, é o que lhe confere este belíssimo e mágico sabor humano, que o tempo todo celebramos. Nós os festejaremos em Casa, quando decidirem voltar para o Lar. Muitos escolherão isso, pois os tempos vindouros poderão ser muito estressantes. Alguns simplesmente dirão: “Preciso ir para Casa.” Não existe certo ou errado em ir para Casa e é absolutamente a mais bela experiência humana que terão. Retornar para o Lar é uma grande paz. Só que todos vocês podem fazê-lo sem deixarem seus corpos físicos agora. E é isso o que se descortina bem à frente. Apreciem a aventura e agüentem firmes, pois será uma viagem e tanto!

E é com a maior das honras que lhes pedimos para se tratarem uns aos outros com respeito, cuidando uns dos outros a cada oportunidade, re-lembrando-se de que se trata de um jogo e... joguem bem juntos!

Espavo - O grupo

Nota de Copyright:
Copyright 2000 - 2009 Lightworker. www.Lightworker.com Esta informação foi feita para ser circulada e poderá ser livremente divulgada, integral ou parcialmente, de acordo com as seguintes condições : O uso deste material implica que seu usuário concorda com as seguintes condições: 1. As palavras "Copyright 2000 - 2008 Lightworker. www.Lightworker.com" deverão ser incluídas junto a todo o material publicado. 2. Seu usuário concorda que todos os direitos, inclusive de copyright sobre o material traduzido, permanecerão de posse do Lightworker. Caso você traduza este material, nós nos reservamos o direito de compartilha-lo, atribuindo-lhe o devido crédito como tradutor, no site do Lightworker para que ele esteja disponível para todos. Maiores informações sobre o Grupo poderão ser encontradas em: http://www.Lightworker.com.
Obrigado por nos ajudar a espalhar esta luz!

Fonte: http://transbeacon.lightworker.com/2009/2009_06-Family-pt.php

Pedro Coelho
http://www.luzdegaia.org/

Elementais Sagrados







Elementais Sagrados

Terra - Ar - Fogo - Água

Os elementais, seres feéricos ou seres encantados, são os co-criadores da natureza, cada qual responsável por uma atribuição, conforme o elemento a que pertencem. Os reinos elementais são regidos pelas leis naturais dos Deuses que, junto ao seu poder ancestral, formam uma tríade sagrada, onde os espíritos da natureza, manifestam-se sob formas e funções específicas para a harmonia e a manutenção de todo o planeta.

O reino elemental canaliza a energia através do pensamento, mantendo um determinado padrão vibracional. Os elementais captam todas as vibrações dos seres humanos, mas somente aqueles que possuem o coração puro, como de uma criança, conseguem entrar em contato com esses seres maravilhosos.

Os elementais sagrados não são apenas aquelas "belas criaturas" idealizadas por muitos e que, normalmente, vemos estampadas em livros e lojas esotéricas, mas sim, representantes dos elementos básicos da criação e, como tal, fundamentais para o equilíbrio e a continuidade de toda a existência.

Acessar um ser elemental, não é apenas um ato magístico, mas um ato necessário para o nosso equilíbrio interior e também exterior. Podemos observar que interiormente possuímos todos os elementos condensados dentro de nós. O ideal é vivenciarmos todos os elementos, seja através do contato com a terra, o ar, o fogo ou água e assim percebermos quando algum excesso ou falta estiver presente. Esse é o verdadeiro contato com o nosso elemental sagrado.

Pensando por este aspecto, somos a terra, representada pelo estômago que tem a função de digerir alimentos sólidos provenientes do solo. Somos o ar, quando respiramos e assim o inalamos através dos pulmões, o combustível necessário para que a máquina, chamada corpo físico, se movimente.

Somos o fogo, quando dançamos, corremos e nos apaixonamos, pois o coração é o símbolo dessa energia, que movimenta o sangue pelas artérias e veias do nosso corpo. Somos quase 90% de água circulante em todo o organismo, além de nascermos através desse elemento.

Somos também o éter espiritual da quintessência elemental. Que assim seja!

Elemento Terra

O saber, o escudo, o norte, o urso, a cor verde, Formalhaut, Vento Norte ou Boreas, as mãos espalmadas e voltadas para o chão. Seu símbolo é representado por um triângulo cortado apontando para baixo.

Elementais da terra: duendes, gnomos e gnomidas. Regente elemental: Gob, sendo os gnomos responsáveis pela construção de minérios e os duendes responsáveis pelo desenvolvimento das ervas e plantas no geral.

Buscar não apenas o equilíbrio através dos elementais, mas a sabedoria daqueles que buscam a força da terra para evoluir, assim como os druidas, temos outras civilizações que podemos usar como exemplo. No Antigo Egito, a figura de Kan assumiu o nome de Toth, que mais tarde os gregos associaram a um Deus do Olímpio chamado Hermes. Parte dos ensinamentos de Toth está com o nome de Hermes, conhecido também pelo nome de Hermes Trismegisto ou Mercúrio, o Mensageiro dos Deuses.

Os ensinamentos de Toth, impropriamente chamado de Hermes, estão expostos em muitos papiros, sendo os mais conhecidos deles são: "Tábua de Esmeralda" e "Pistis Sóphia".

Resumindo, é através do equilíbrio de todas as forças, tanto acima como abaixo, que materializamos nossos sonhos. De nada adianta possuir o intelecto mental, a energia e a coragem da realização, o equilíbrio das emoções, se não estivermos centrados no momento presente, ou seja, o aqui e agora.





Elemento Ar

O querer, a espada, o leste, as pássaros, a cor amarela, Aldebaran, Vento Leste ou Eurus, palma das mãos voltadas para cima na altura dos ombros. Seu símbolo é representado por um triângulo cortado apontando para cima.

Elementais do ar: silfos, sílfides, fadas e fadins. Regente elemental: Paralda, sendo os silfos responsáveis pela purificação das atmosferas mais baixas e as fadas pelo equilíbrio mental pessoal.

A sintonia com os elementais do ar confere acesso à inspiração e às faculdades mentais. Ajuda a coordenar e verbalizar as nossas percepções mais sutis. Estimula a liberdade e o equilíbrio mental.

Temos também os elfos, que são elementais muito semelhantes aos silfos, sem forma corpórea definida, pois aparecem da combinação do Ar e do Fogo. Nestes predomina a ordem mental e o envolvimento social. Para recarregar o seu elemento primordial, que é o ar e o fogo, e assim fortalecer o silfo pessoal, é preciso o contato com o ar puro e eletricamente carregado, presente nas tempestades.





Elemento Fogo

O ousar, a lança, o sul, leão ou dragão, a cor vermelha, Regulus, Vento Sul ou Notus, as mãos fechadas em punho. Seu símbolo é representado pelo triângulo para cima.



Elementais do fogo: salamandras e salandrios. Regente elemental: Djim e são responsáveis pelas temperaturas mais elevadas do ambiente.

Sendo considerado o elemento fogo o mais intenso dos elementais, responsável pelas das transmutações, transformações, transições, mudanças, progresso, determinação, assim como, a guerra, vingança, luxúria, paixão e por aí vai. Sua força luminosa indica o caminho a ser seguido por aqueles que conhecem e praticam os ensinamentos do universo. O fogo é a chama que acende dentro de nós o amor, faz brilhar nossa aura e nossos olhos, revelando a força de nosso espírito, e nos conduzindo à sabedoria interior.

As salamandras reinam em um corpo totalmente de fogo, assim como toda a sua essência, tem o poder de transformar e desencadear tanto emoções positivas quanto negativas. Paracelso afirma que muitas salamandras são vistas na forma de bolas ou línguas de fogo correndo através dos campos e irrompendo nas casas através das lareiras. Elas possuem especial influência sobre as criaturas de temperamento ígneo e tempestuoso.





Elemento Água

O calar, a taça, o oeste, golfinhos, a cor azul, Antares, Vento Oeste ou Zéfiros, as mãos em forma de concha na altura do abdome. Seu símbolo é representado pelo triângulo voltado para baixo.

Elementais da água: ondinas e odins. Regente elemental: Necksa, sendo as ondinas responsáveis pela depuração ou purificação das águas.

As ondinas despertam e estimulam a natureza emotiva, realçando nossa intuição e a nossa sensibilidade, além das energias da criação e do nascimento, bem como a premonição e imaginação criativa.

As ondinas freqüentemente fazem sentir sua presença, no plano onírico. Sonhos em ambientes aquáticos ou que transbordem sensualidade, aumentando a criatividade em nossas vidas.

A sintonia com a sua ondina pessoal melhora o desempenho das funções da circulação dos fluidos corporais, tais como, o sangue e a linfa. A retenção de água no organismo é indício de desequilíbrio desse elemento, quando isso ocorre, passamos a maior parte do tempo concentrados em nossos pensamentos nos esquecendo do sentimentos.

O excesso do elemento água, nos torna muito passionais, além de gerar exagerada sensualidade, medo e isolamento. Certas lendas afirmam que elas podem viver algum tempo entre os homens, embora acabem sempre cedendo ao chamado das águas e retornando para os rios ou para o mar.

Aliás, muitas ondinas tem estatura semelhante à nossa, como as sereias citadas em várias lendas. Mas há ondinas menores, como as que habitam riachos e fontes, e outras muito diminutas, que vivem nas folhas flutuantes e nas minúsculos musgos criados pelas quedas d'água. A água realmente é um mistério divino da criação da Grande Mãe.

E finalmente, o éter que é unificado nessa existência física, dinamizado e representado pela união de todos os elementos. No livro Alquimista, Paracelso cita: "Toda natureza invisível se movimenta através da imaginação. Se a imaginação fosse forte o suficiente, nada seria impossível, porque ela é a origem de toda magia, de toda ação através da qual o invisível, de um ou outro modo, deixa seu rastro no visível. A energia da verdadeira imaginação pode transformar nossos corpos, e até influenciar no paraíso"...





Bênçãos plenas!

Rowena Arnehoy Seneween ®

Extraído de Templo de Avalon

Círculo de fevereiro com Kelly Van Raalte



Círculo da Lua Nova

Espiritualidade Feminina
Xamanismo

“Somos mulheres que honram o Sagrado Feminino, ritualizando os ciclos da natureza,

vivendo os mitos, através de danças, cantos, oráculos, compartilhares e trabalhos de cura,
assim como faziam nossas ancestrais nativas na Tenda da Lua.

Nosso círculo acontece numa casa construída em harmonia com a natureza, com a floresta da tijuca nos abraçando.

Fazemos fogueira em espaço aberto ou nos reunimos no interior da casa quando chove.

Se você sente este chamado Seja Bem Vinda!” - Sílvia Rocha

--------------------------------------------------------------------------------

dia 21 de fevereiro, domingo

Tema:
"Compartilhando nossos corações abertos e agradecidos"
com Kelly Van Raalte - Mulher da Pedra Branca da tradição Odjibway

de 18 às 21 horas




Kelly Van Raalte é canadense, enfermeira psiquiátrica e mestre em Psicologia Transpessoal pelo Instituto de Psicologia Transpesssoal da Califórnia. Trilhou um caminho pessoal e profissional na busca de um entendimento mais profundo na evolução da consciência humana. O tema “Emergência Espiritual” foi sua dissertação de mestrado.

Há quase 30 anos Kelly está envolvida com comunidades nativas, participando de práticas/rituais de cura e eventos culturais. Conhecida como Mulher da Rocha Branca do Clã da Tartaruga, segue o caminho vermelho das Primeiras Nações de Ontario - Canadá. Anciãos Ojibway deram a Kelly a honra de ser chamada de Avó, ou Anciã, a mais alta honraria entre os sábios das tribos. Ela tem profundo interesse pelos ensinamentos transculturais e reverência ao mundo natural.
Tem vindo ao Brasil com freqüência nos últimos 14 anos para passar seus conhecimentos espirituais e psicológicos a convite de Athamis Bárbara (que iniciou no Rio o grupo Guerreirosdaluz) e possui uma legião de amigos e alunos no Brasil, afinal, essa anciã cativa pelo amor que emana de seus olhos.

Numa de suas vindas Kelly inspirou o Círculo da Lua Nova e tem acompanhada seu crescimento.
Sempre que pode e que vem ao Brasil, nos dá a honra de sua presença.

Neste próximo círculo vamos aprender mais sobre os ancestrais, fazer leitura oracular na pedra e o que mais fluir de nossa sinergia.



Levar:
Material para ritual:

1. Uma pedra mais ou menos do tamanho de uma maçã para leitura oracular (pedras roladas de rio são as melhores),
2. Caderno de sonhos (se vc tem um, senão algum caderno que possa vir a ser seu caderno de sonhos)
3. caneta ou lápis,
4. Lanterna (para enxergar o que você vai escrever à luz da fogueira).
5. Tambor e/ou maracá (se você tiver)

Para a ceia:
frutas e algo para o lanche

Para contribuição:
20,00

Ir de saia
Levar biquini se quiser entrar na piscina de água natural após o ritual!

Coordenação:
Sílvia Rocha
Psicóloga Transpessoal (crp.05/21756), pós graduada em Psicologia Junguiana (IBMR),
percorre o caminho vermelho há 10 anos, tendo sido iniciada na tradição Huni Kuin como Ayani Makuani do Banu Bakê
e na tradição Odjibway como Mulher da Estrela Corvo (Raven Star Woman) do Clã da tartaruga.
Há cinco anos e meio coordenando o círculo da lua nova!



Contato: psi.silviarocha@terra.com.br

Nosso Blog: http://www.circulodaluanova.blogspot.com/

Se você precisar de carona para subir o Alto da Boa Vista,
entre em contato com Aparecida Sauer:
9184-5554 cel
3518-5554 fixo
bodyprayer@gmail.com


--------------------------------------------------------------------------------


Local: Centro de Estudos Xamânicos

Rua Comendador Gervásio Seabra, 140

Alto da Boa Vista - RJ

Rituais de Afrodite


ARQUÉTIPO DA SENSUALIDADE

Quando uma mulher apaixona-se por alguém e é correspondida, obtemos a personificação do arquétipo de Afrodite. Incorporando um corpo mortal, a deusa do amor se sente atraente e sensual, tornando-se desse modo, irresistível.

Quando Afrodite está ativa e presente em nosso íntimo, um magnetismo pessoal nos induz a caminhar em um campo eroticamente carregado de intensa percepção sexual. Nos tornamos mais "quentes", atraentes e vibrantes. Há uma magia no ar e um estado de encantamento e louca paixão é evocado.

É a energia sutil de Afrodite que nos faz ver o mundo não como algo codificado, mas sim, se apresentando com uma fisionomia, um rosto, revelando sua imagem interior. É só através dos olhos de Afrodite que vislumbramos o mundo nas suas diversas e infindáveis cores, cheiros, sabores, sons...

Perder esta Deusa é morrer no deserto árido, seco, sem cor, sem vida. Afrodite é uma necessidade imperativa. Ela é a Beleza e a Deusa Dourada que nos sorri. É somente através dela que os outros deuses se manifestam e deixam de ser meras abstrações teológicas.

Se o mundo é tão belo, por que não sofisticarmos nossa percepção? Perceber é o modo de conhecer o mundo e, a nossa deusa Afrodite é pura sedução e nos revela a nudez das coisas, de modo a nos mostrar a sua imaginação sensual.


AFRODITE E A LÍNGUA DAS FLORES

As flores sempre foram associadas a todas as deusas do amor e beleza, pois elas representam a sexualidade da natureza. Elas representam os órgãos sexuais mais belos que conhecemos. A associação simbólica das flores e os órgãos sexuais de uma mulher está em sua natureza delicada, na maneira pela qual brota, floresce e abre-se, fazendo-se vulnerável para a polinização e fertilização com outras. É exatamente este o motivo pelo qual as flores são o presente mais comum ofertado entre amantes, pois simboliza a beleza da sexualidade humana.

As principais flores associadas com Afrodite são: a rosa vermelha, o jasmim, a orquídea, papoulas e o hibisco.


AFRODITE EM NOSSAS VIDAS

Afrodite é a Deusa das pombas, dos cisnes, das rosas, das maçãs e de todas as coisas graciosas e criativas. Você está passando por algum trauma momentâneo? Ou você não se considera bonita o bastante? Pois Afrodite chega em nossas vidas para nos ensinar a dança do amor. Nos fará recuperar o respeito próprio e aprenderemos a nos aceitar como realmente somos. Toda a mulher que deseja buscar a consciência perdida de Afrodite precisa começar a amar e acalentar o seu corpo, tal como ele é. E, os homens também, precisam parar de comparar toda a mulher com um retrato interior imaginário e inatingível que trazem dentro de si.


O primeiro passo para explorar este domínio perdido é através da dança. Dance em sua casa ou saia para dançar, este é um dos melhores remédios para nos aceitarmos e nos conhecermos melhor. Quando estamos em harmonia com nosso corpo um grande milagre se opera: começamos a sentir verdadeiramente. Há uma espécie de derretimento de defesas interiores e uma abertura se concretiza, liberando uma sensibilidade à disposições e atmosferas mais sutis.


Afrodite nos presenteará com um carisma magnético que nos permitirá expressar-nos por inteiro. Vale a pena tentar!

CONECTANDO-SE COM AFRODITE


Deite-se e relaxe. Inspire e expire profundamente por seis vezes.

Em seguida imagine-se em um jardim cheio de rosas e orquídeas, douradas pelo pôr-do-sol, cujo perfume é carregado por uma suave brisa primaveril. Tal brisa acariciará seu rosto, massageará seus cabelos, e seu corpo. Delicie-se ingenuamente e chame Afrodite. Um movimento sutil no ar anunciará sua presença. Ela lhe estenderá a mão e a convidará para um passeio. Vislumbrará então uma grande floresta, um de seus locais de poder. Neste templo de árvores e pássaros, respire profundamente o cheiro da terra e o perfume das flores selvagens. Escute a música delicada dos pássaros. Afrodite lhe ofertará um presente: uma orquídea. Sinta e incorpore o seu aroma. Neste momento uma pomba pousará em seu braço. No olhar deste mágico ser você poderá compreender a beleza misteriosa da deusa Afrodite. Vários pássaros a sua volta cantarão uma linda uma linda melodia. Você deve dançar. Afrodite dançará com você e da floresta surgirão as graças e outras musas que dançarão também com vocês.





Visualize o infinito, pois a partir deste momento você terá em sua vida infinitas possibilidades de ser feliz, sendo você mesma, se assumindo, se aceitando e se amando.



Sinta o encanto, o prazer e a magia de ser você Por onde você pisa, brotam flores de todas as cores. Onde você passar neste mundo, despertará o amor e a beleza e sentirá feliz por ser você e estar viva.



Quando achar que está pronta, abrace Afrodite e agradeça os momentos maravilhosos que passaram juntas. Ela lhe conduzirá até a saída da floresta e depois você virá sozinha. Respire profundamente novamente e abra os olhos. Feliz retorno!







CRISTAL DE AMOR DE AFRODITE







Os cristais possuem o poder oculto de estimular o amor entre casais. Eis aqui um sortilégio de amor que usa um cristal de quartzo rosa, pedra de Afrodite. Ele é simples, mas eficiente.



Pegue o seu cristal e banhe-o em solução de água com sal marinho. Em seguido embrulhe-o em um pano branco até a hora de realizar o sortilégio. Deste modo, limpará e neutralizará todas as energias indesejáveis.



Depois deste tempo, pegue o cristal e carregue-o segurando-o em sua mão, para impregná-lo de sua energia e absorver a dele. Solicite neste momento, os poderes da Deusa Afrodite e que ela lhe traga a pessoa que seja correta e destinada para você.



Coloque o cristal em uma bolsinha de cetim vermelha, cobre ou verde. Você pode comprar o cetim e fazer você mesma (terá mais poder). Deve atar os quatro cantos do tecido unindo-os com um cordão da mesma cor.







DIA DOS NAMORADOS COM AFRODITE





Comemore o dia dos namorados com Afrodite. Que deusa melhor do que ela para compartilhar um dia tão romântico?



Em primeiro lugar, em honra a deusa Afrodite adorne seu quarto com rosas vermelhas e queime um incenso desta mesma essência.







RITUAL DE BANHO





Uma das conexões com a deusa Afrodite é através de um simples banho. Recordando seu mito de nascimento, onde ela surgiu da espumas do mar, você pode praticar este ritual numa praia, rio, na banheira e até no chuveiro.



Inicie este seu maravilhoso dia com um gostoso banho. Se puder, polvilhando-o com pétalas de rosas vermelhas, declarando mentalmente toda a sua paixão e desejo. Comece então molhando seu cabelo. Deixe ou faça a água gotejar sobre seu corpo. Sinta-se e diga que é tão bela e atraente quanto Afrodite. Permaneça um bom tempo mergulhada neste tipo de pensamento, depois pode pegar a toalha e enxugar-se.



A seguir faça uma delicada massagem facial-corporal com óleo de essência de rosas. Deste modo, liberará todas as suas tensões e o odor de rosas se exalará invocando assim todos os seus efeitos aromáticos que são afrodisíacos.







Coloque sua melhor roupa e saia para comprar o presente de seu amado. Você não tem um? Tudo bem, deve sair mesmo assim e comprar um presente especial para você. Neste caso, busque roupas e acessórios que você nunca teve coragem de usar antes.

INOVE!



Escolha algo que lhe deixe atrevidamente sensual. Achou? Pois à noite será a hora de vesti-lo e badalar. Talvez seja hoje o dia que Afrodite lhe trará seu principie encantado, retirando todos os "sapos" que insistem em cruzar seu caminho. Quem sabe?









O AMOR ESTÁ NO AR...







O amor está no ar e no perfume de cada dia.

Já foi cientificamente comprovado que o aroma desempenha um papel importante no contexto da atração sexual. O caminho do coração, passa com certeza, primeiro pelo nariz. Uma presença marcante, só se faz através de um perfume de mesmo porte. Portanto, sempre recomendo para que toda mulher eleja um fragrância de seu agrado e lhe seja fiel. Ela deve ser reconhecida por um cheiro particular.



Mas existe também uma poção mágica que pode ativar os poderes afrodisíacos de seu perfume habitual, sem alterar suas características naturais, que consiste em se acrescentar:



1/4 de óleo da patchulli

1/4 de óleo de benjoim

1/4 de óleo de loto

1/4 de óleo de heliotrópio

1/4 de óleo de lírio florentino

1/4 de azeite de oliva





Misture todos os ingredientes acima. Adicione à mistura o seu perfume ou colônia preferida.







JANTAR PARA UM AMOR MAIS RECEPTIVO



Depois do nariz, a parte mais vulnerável do homem é o estômago. Então, neste dia dos namorados é a hora certa de preparar-lhe aquele jantarzinho muito especial.



Decore sua mesa com muito amor cobrindo-a com uma toalha cor-de-rosa. Adorne com um centro de mesa com rosas vermelhas ou papoulas, acrescentando duas velas da mesma cor. Nelas você deve escrever as iniciais dos dois nomes. Primeiro o dele e depois o seu em cima. Elas simbolizarão o desejo ardente mútuo.



Perfume o ambiente com um incenso de rosas vermelhas.

Prepare ou compre uma torta de maças. Tenha disponível uvas e morangos, que deverão ser mergulhados em chocolate, para no término do jantar, num momento mais íntimo serem brindados com champanhe. Tribos indígenas da América do Sul, costumavam usar o chocolate para cobrir suas zonas erógenas. Tornavam assim, os beijos mais doces e agradáveis. O chocolate é considerado o alimento de Vênus.



Prepare um jantar simples, mas não esqueça de usar manjericão, erva tradicional que deve ser sempre acrescentada em refeições de amor. Se servir alguma salada, ela deve ser temperada com vinagre rosa.







RITUAL DE AFRODITE PARA OS AMANTES SEPARADOS



Esse ritual é para aqueles momentos em que se está separado de seu parceiro, seja por trabalho ou outro motivo. Ele nos dará a paciência necessária para suportar essa separação, da mesma maneira que Afrodite esperou pacientemente quando esteve separada de Adonis.



Você necessitará para esse ritual adquirir material de moldar, pode ser de barro, massa ou de cera (encontrado em qualquer livraria especializada em material escolar). Molde dois corações planos. Poderá amassar ou aplanar a massa ou barro ou usar um molde em forma de coração.

Depois acenda uma vela vermelha, já que essa é a cor da paixão. Tão logo a cera comece a derreter, faça com que goteje sobre um dos corações. Enquanto a cera ainda estiver quente, pressione os dois corações, como se fosse um sanduíche, de maneira que a cera cole juntos os dois corações. Ao realizar essa tarefa, vá dizendo:



-"Deusa Afrodite, traga de volta pra mim, são e salvo, o meu amor".



Depois guarde os dois corações em lugar seguro até que volte a encontrar seu parceiro.



Texto pesquisado e desenvolvido por



ROSANE VOLPATTO

dia 06 de fevereiro - dia de Afrodite



Enviado por Beth Bear,
beijos
Sílvia







DEUSA AFRODITE


Virgem que veio do mar

Estrela sempre luminosa da manhã

Deusa radiante da beleza feminina

Amante do encanto virginal da sensualidade

Vênus eterna da tolerância e beleza

Baila na luz, oculta dentro de nossos olhos

Sensualidade feminina

Eternamente revelada na mulher.









O amor atraído por Afrodite é grande...é apaixonado...é verdadeiro.

Afrodite é o arquétipo da sexualidade e da sensualidade.



NASCIMENTO DE AFRODITE



Há duas versões sobre o nascimento biológico desta Deusa. Na versão de Homero, Afrodite nasce de modo convencional, como sendo filha de Zeus e Dione, ninfa do mar. Já na versão de Hesíodo, ela nasce em conseqüência e um ato bárbaro. Cronos, cortou os órgãos de seu pai Urano e os atirou no mar. Uma espuma branca surgiu em torno deles e misturando-se ao mar, gerou Afrodite. Sendo assim, Afrodite é filha do Céu e do Mar, a Deusa Mãe original em muitas tradições, e o primeiro fruto da separação do céu e da terra. Como foi gerada no mar, é a filha do começo, é a figura que, igual a Deusa original, volta a unir as formas separadas de sua criação. Nesse sentido, Afrodite "nasce" quando as pessoas recordam, com alegria, o vínculo que une os seres humanos com os animais e com toda a natureza e ainda, quando percebem esse vínculo como uma realidade clara e sagrada. O mito sugere que isso aconteceu mediante o amor. A união se converteu em reunião, pois o amor que gera vida se faz eco do próprio mistério da vida.



A união é reunião como a fertilidade é renascimento. Essa concepção se manifestava cada primavera no banho ritual de Afrodite que renovava sua virgindade e a da terra. As Horas, as primeiras à vestir Afrodite quando nasceu, são também Deusas das estações, que são as horas do ano e, na primavera, quando nasce o ano, a vestem de novo, ajudadas pelas Graças.






O pintor Apeles representara em um admirável quadro o nascimento de Afrodite chamada Anadiómente, ou seja, "que sai do mar". Esse quadro foi consagrado à Deusa pelo próprio Imperador Augusto e, ainda existia na época do poeta latino Ausone, que fez dele uma breve mais viva descrição:



"Vede, diz ele, como esse excelente mestre soube exprimir a água cheia de espuma que corre através das mãos e dos cabelos da Deusa, sem lhe ocultar nem uma das graças: também desde que Atena percebeu, dirigiu essas palavras a Hera: Cedamos, cedamos oh! Hera, a essa Deusa que nasce, todo o prêmio da beleza."



A imagem de Afrodite emergindo do mar foi imortalizada durante a Renascença por Botticelli em "O nascimento da Vênus". Esta pintura mostra uma mulher nua, delicada e graciosa, sobre uma concha, sendo levada para a praia pelos deuses do vento e uma chuva de rosas.



Há um grande número de estátuas de Afrodite (Vênus): as mais célebres são a Vênus de Medicis, que se acreditava ser uma cópia de Vênus de Cnide, executada por Praxíteles, a Vênus de Arle, a Vênus de Milo, descoberta em Milo pelo Conde Marcellus, em 1820.



Uma das mais curiosas estátuas dessa Deusa, variação da Vênus hermafrodita, era a Vênus barbata. Estava em Roma: representava na sua parte superior um homem com cabeleira e barba abundantes, enquanto a parte inferior era de mulher. Essa singular estátua foi consagrada à Deusa por ocasião de uma moléstia epidêmica, em conseqüência da qual as damas romanas perdiam os cabelos. A Afrodite atribuiu-se a cura.



Em muitos quadros modernos, Afrodite é representada sobre o seu carro, tirado por dois cisnes: usa uma coroa de rosas e uma cabeleira loira; nos olhos brilha a alegria, paira o sorriso nos lábios; em torno dela brincam dois pombos e uma grande quantidade de pequenos amores.



Em uma medalha que pertenceu a Imperatriz Faustina, vê-se a imagem de "Vênus mãe": segura uma maçã com a mão direita, e com a esquerda uma criança envolta em cueiros. Em outra medalha da mesma imperatriz, vê-se a "Vênus vitoriosa". Com suas carícias, a Deusa se esforça em deter Ares, que parte para a guerra.



O nome de Afrodite, surge da mesma forma que seu nascimento: "afrós" significa "espuma" em grego. Contudo, o útero do mar que a acolheu e alimentou o sêmen do céu não foi concebido como uma concha até que Botticelli a imortalizou com a dita imagem (kteís, a palavra grega que designa a concha, significava também os genitais femininos).



Seu nome latino, Vênus, é a raiz da expressão "doença venérea". A sexta-feira (vendredi, em francês), dia da semana, era-lhe consagrada (Veneris dies).







Afrodite também era chamada "Dionéia" como sua mãe. "Anadómene", isto é, "saindo das águas". Possuía um cinto onde estavam encerradas as graças, os atrativos, o sorriso sedutor, o falar doce, o suspiro mais persuasivo, o silêncio expressivo e a eloqüência dos olhos. Conta-se que Hera o pediu emprestado a Afrodite para reanimar a paixão de Zeus e para vencê-lo na causa dos gregos contra os troianos.





O JULGAMENTO DE PARIS



Nada é mais célebre do que o julgamento de Paris e a vitória conquistada por Afrodite sobre Hera e Atena, apesar das suas rivais terem exigido dela que, antes de qualquer coisa, deveria tirar o seu temível cinto. A história se passou, mais ou menos assim:

Todos os Deuses Olímpicos, menos Éris, Deusa da Luta e da Discórdia, uma Deusa Menor, foram convidados para o casamento de Peleu, rei de Tessália, com a bela ninfa marítima Tétis. Mas Éris apareceu mesmo sem ser convidada e resolveu vingar-se pela desconsideração. Ela interrompeu as festividades atirando uma maçã de ouro onde estava gravado "para a mais bela" entre as convidadas reunidas.

A maçã rolou pelo chão e foi imediatamente reivindicada por Hera, Atena e Afrodite. Cada uma sentiu que a maçã era legítima e merecidamente sua. Elas não podiam, certamente, decidir entre si qual era a mais bonita, portanto apelaram pela decisão de Zeus. Ele recusou fazer a escolha, e as enviou ao pastor Páris, um mortal que sabia apreciar as mulheres bonitas; ele seria o juiz.

As três Deusas encontraram Páris vivendo a vida bucólica com uma ninfa dos montes nos declives do monte Ida. Sucessivamente, cada uma das três bonitas Deusas esforçaram-se para influenciar sua decisão com um suborno.

Hera ofereceu-lhe poder sobre os reinos da Ásia se ele lhe concedesse a maçã. Atenas prometeu-lhe vitória em todas as batalhas. Afrodite ofereceu-lhe a mulher mais bonita do mundo. Sem hesitação Páris declarou Afrodite a mais bela, e ofereceu-lhe a maçã de ouro, incorrendo portanto no ódio eterno de Hera e Atenas. O Destino acabou selando o amor que já havia sido despertado entre Páris e Helena. Mas, ao optar pela beleza e o amor, não só rechaçou a maternidade, a castidade, mas também perdeu a proteção de Hera e Atena, que acabaram ajudando os gregos.







AFRODITE COMO RAINHA DO CÉU E DA TERRA







Afrodite chegou à Grécia vinda do Chipre e, antes disso, desde Mesopotâmia. Era portanto, uma Deusa muito antiga, tão antiga como o tempo, entretanto, no Monte Olimpo era uma divindade de aparição recente, cujo papel havia sido reduzido, pois sua esfera de atuação era tão somente as paixões humanas. As divindades anteriores tem maior transcendência: tendem a ser deidades que realizam todo tipo de obra. Porém quando é esculpida e pintada com seus animais e pássaros, os golfinhos, o bode macho, o ganso, o cisne e a pomba, pode-se vislumbrar claramente sua antiga linhagem. Como Deusa do mar, se desliza por cima das ondas sobre o lombo dos delfins; como Deusa dos animais, faz com que o desejo os impulsione, atraindo-os entre si; como Deusa da terra em seu aspecto fértil, através da chuva reúne o céu e a terra, e faz com que as sementes da terra úmidas brotem raízes raízes e folhas.



Como Deusa do céu, viaja pelo ar em carruagens de cisnes e gansos, e se senta sobre um trono de cisnes.



Afrodite rege o céu, a terra, as ondas e a todas as criaturas vivas. "Foi ela que deu o germe das plantas e das árvores, foi ela que reuniu nos laços da sociedade os primeiros homens, espíritos ferozes e bárbaros, foi ela que ensinou a cada ser a unir-se a uma companheira. Foi ela que nos proporcionou as inúmeras espécies de aves e a multiplicação dos rebanhos. O carneiro furioso luta, às chifradas, com o carneiro. Mas teme ferir a ovelha. O touro cujos longos mugidos faziam ecoar os vales e os bosques abandona a ferocidade, quando vê a novilha. O mesmo poder sustenta tudo quanto vive sob os amplos mares e povoa as águas de peixes sem conta. Vênus foi a primeira em despojar os homens do aspecto feroz que lhes era peculiar. Dela foi que nos vieram o atavio e o cuidado do próprio corpo." (Ovídio).



Igual a Inanna-Isthar, Afrodite encarnava a estrela mais brilhante do céu, a estrela da manhã e do entardecer que chamamos por seu nome romano, Vênus. O templo micênico chipriota do século XII a. C. consagrado a Afrodite estava decorado com uma estrela e com uma lua crescente e também com a pomba.



No século IV a.C., a filosofia platônica distinguiu entre uma Afrodite Celeste e uma terrena com a finalidade de expressar os distintos tipos e intensidades do amor. Através disso se queria reconhecer a amplitude de seu domínio, porém também se separava aquilo para cuja união ela existe. A figura da Afrodite Urania, Afrodite celeste, inspirava a possibilidade de um amor global e incluía a paixão pelas idéias e sugeria a paixão da alma onde quer que estivesse.

Afrodite Pandemo, literalmente Afrodite do povo, põe em relação à toda humanidade através do vínculo comum da natureza: era a imagem de um tipo de amor mais terreno e direto no qual todos podem tomar parte.

Essa expressão de Afrodite também implicava o ritual da "prostituição" sagrada do templo, um serviço que se oferecia sem pedir nada em troca, em nome da Deusa e sempre provocava longas filas. O animal de Afrodite que representava esse aspecto é o bode macho, conhecido por sua natureza amorosa.



Em todos os mitos gregos que versam sobre ela, Afrodite "nasceu" no Chipre, de onde os micênicos também emigraram. Fenícia só se distância 96 Km no ponto mais longínquo, ou seja, um dia de viagem de barco à vela. No segundo milênio a.C., os fenícios se estenderam ao longo da costa da Palestina, comercializando suas tintas púrpura e seus tecidos, e também trocando crenças e costumes.



Chifre foi um ponto de encontro de muitas tradições diferentes: fenícia, frígia, micênica, entre outras. Os aqueus micênicos chegaram à Chifre já no século XII a.C., e construíram em Pafos um templo monumental à Afrodite que foi uma das maravilhas do mundo antigo. Essas tradições diferentes se mesclaram para criar uma figura que não era simplesmente a versão grega do antigo mito e sim uma imagem totalmente nova de vida. Entretanto, a imagem comum a todas essas culturas é a pomba: consagrada à Afrodite como foi à Inanna-Isthar. A pomba é na tradição cristã a imagem da união por excelência que representa o aspecto feminino ausente na divindade. Essa expressão é significativa se recordarmos o domínio de Afrodite sobre o céu e a terra e seu papel de mediadora entre eles; a pomba é o Espírito Santo que coloca em relação a humanidade com a deidade.







AMORES DE AFRODITE



Na mitologia tardia, Afrodite estava casada com Hefesto, o coxo, o deus que como o vulcão, produzia o fogo nas profundezas da terra. É filho de Hera que, como deus ferreiro, forjava os relâmpagos para Zeus. Conta-se que seu pai, Zeus, a entregou como esposa à Hefesto, para castigar o seu orgulho. A Deusa aceitou, pensando que o deus ferreiro seria fácil de contentar.



São inumeráveis os episódios que a relacionam com relações amorosas infiéis.

A relação adúltera de Afrodite com Ares, o deus da guerra, alternadamente valente e covarde, porém sempre indisciplinado, foi descoberta por Hefesto.

Com Ares, a Deusa teve três filhos: uma filha, Harmonia e dois filhos, Deimos (Terror) e Fóbos (Medo). A união entre estes dois deuses, o amor e a guerra, são duas paixões incontroláveis, as quais se em perfeito equilíbrio, poderiam estabelecer a harmonia.



Afrodite também uniu-se a Hermes e dessa união nasceu um deus Hermafrodito, que herdou a beleza de ambos os pais, trouxe igualmente consigo seus nomes, e teve as características sexuais de ambos. Como um símbolo, este deus pode representar a bissexualidade ou a androginia.



Com Dionísio procriou a Príapo, um feio menino de grandes genitais.







Eros (Cupido), deus do amor, foi o filho mais famoso de Afrodite. Armado com seu arco, desfechava as setas do desejo no coração dos deuses e dos homens. Entretanto, mitos posteriores descrevem-no como filho ilegítimo de Afrodite. Com o tempo, passou a ter sua força diminuída e o que hoje conhecemos dele é a representação sob a forma de um bebê de fraldas com um arco e flechas, conhecido com o nome de Cupido.



Carl Jung definiu Eros como a capacidade de relacionar-se, a qualidade de ligar-se aos outros. Segundo Hesíodo, Eros foi a força fundamental da criação, presente antes dos titãs e dos deuses olímpicos.







SEUS AMORES MORTAIS







Sob o nome romano de Vênus, viu Anquines cuidando de seu gado em uma certa montanha, enamorou-se . Fingindo ser uma jovem muito linda, arrancou fervorosa paixão dele. Mais tarde, revelou sua real identidade e contou que concebera um filho, o piedoso Enéias, que foi o lendário fundador de Roma.



Os romanos consideravam Vênus sua mãe ancestral e a cidade de Veneza recebeu este nome em sua homenagem.







A IRA DA DEUSA



Embora seja considerada a Deusa do Amor, Afrodite não foi muito amável com seus adversários, sendo muito vingativa e impiedosa nas suas vinganças. Para punir o deus Sol (Apolo) da indiscrição de haver advertido Hefesto do seu adultério com Ares, tornou-o infeliz em quase todos os amores. Perseguiu-o mesmo pelas armas, até os seus descendentes. Castigou da mesma maneira, a musa Clio, que havia censurado o seu amor por Adonis.



Fedra foi outra vítima do poder de Afrodite. Era a madrasta de má sorte de Hipólito, jovem elegante que tinha se dedicado a Ártemis e a uma vida de celibato. Afrodite usou Fedra como instrumento de seu descontentamento com Hipólito, que se recusou honrar a Deusa do amor ou seus ritos. Afrodite motivou Fedra a apaixonar-se perdidamente por seu enteado.



No mito, Fedra tentou resistir à paixão, lutou contra seu desejo ilícito e ficou doente. Finalmente, uma criada descobriu a causa de sua miséria, e aproximou o jovem em favor dela. Ele ficou tão insultado e horrorizado diante da sugestão de ter um romance com sua madrasta que irrompeu num discurso longo e alto, que ela pode ouvi-lo.



Humilhada, Fedra se enforcou, deixando uma nota suicida acusando falsamente Hipólito de tê-la estuprado. Quando seu pai Teseu retornou para encontrar sua esposa morta e a nota, chamou Poseidon, deus do mar, para matar o filho. Enquanto Hipólito dirigia sua carruagem pela praia, Poseidon enviou enormes ondas e um monstro marinho para amedrontar os cavalos. A carruagem tombou e Hipólito foi levado de rastos até a morte. Dessa forma Afrodite se vingou, às custas de Fedra.







ADONIS, O FILHO-AMANTE DE AFRODITE



Adonis nasceu de uma árvore de mirra, segundo conta uma lenda. Ele era filho de uma relação incestuosa de Mirra e seu pai, Ciniras, rei de Pafos. De acordo com uma versão dessa história, a própria Afrodite teria motivado essa paixão proibida pelos seguintes motivos: porque a mãe de Mirra teria negligenciado venerar Afrodite. De qualquer forma, ela se aproximou do pai disfarçada e no escuro, e se tornou sua amante secreta. Depois de diversos encontros clandestinos, ele descobriu que a tal mulher era a sua própria filha. Tomado de horror e de repugnância, induzido pela necessidade de puni-la, ele tentou matá-la. Grávida e desesperada e ainda,quando seu pai estava a ponto de alcançá-la, orou aos deuses para que a salvassem.



Por ordem divina, para protegê-la da ira do pai, pois ela foi transformada em uma árvore de mirra, de modo, que sua gravidez se converteu na gravidez da árvore. Dez meses depois, a árvore se abriu e Adonis nasceu. Ele é portanto, meio-humano e meio-divino.



Tão belo era o bebê que Afrodite o ocultou em um baú e o deu a Perséfone para que o cuidasse. Porém, quando a Deusa o vê, decide ficar com ele, enquanto que Afrodite decide que o quer de volta. Afrodite apelou então para Zeus, que julgando as exigências, permite que Adonis passe parte do ano com Perséfone e a outra parte com Afrodite.



Adonis cresceu e se transformou num lindo rapaz, amado e protegido por Afrodite. Porém um dia, contra seu conselho, foi caçar um javali selvagem e por circunstâncias do destino é morto pelo animal. Afrodite escuta seus gemidos e vai buscá-lo com sua carruagem puxada por aves, porém já o encontra sem vida e ensangüentado. O sangue era tão brilhante que a Deusa o transforma em uma flor, a anêmona, que cresce na primavera nas ladeiras das colinas.



Adonis, como deus da vegetação, do trigo e de todas as formas de vida visíveis, que crescem e morrem, deve morrer para que tudo viva, do mesmo modo que Osíris e Atis (há um javali que também o mata em certos relatos). O javali encarna o aspecto masculino da Grande Mãe. A Deusa sacrifica o amante para que possa renascer como filho e o filho-amante deve aceitar a morte, porque é a imagem do ser encarnado que, como a semente, regressa à fonte que o originou; enquanto a Deusa, aqui o princípio contínuo da vida, permanece para produzir novas formas a partir de seu inesgotável depósito.



Em rituais anuais que se acompanhava a essa cerimônia, celebrada durante o verão na Grécia e Alexandria, e na primavera na Síria, se carregava pelas ruas efígies de Adonis e, em certas ocasiões, também de Afrodite. Em seguida, entre prantos e lamentos, Adonis era jogado no rio ou no mar.





Afrodite é uma divindade da Lua Cheia, a qual sustenta e nutre a vida. Seus poderes são maduros, cheios de vida e poderosos, mas ela também protege ferrenhamente tudo aquilo que cria. Por simbolizar o amor e a fertilidade, seus símbolos são as vacas, cervos, cabras, ovelhas, pombas e abelhas.



A Deusa presidia ainda, os casamentos, os nascimentos, mas particularmente à galanteria.

Dia 02 de fevereiro, dia de Iemanjá



DIA 02 DE FEVEREIRO - DIA DE IEMANJÁ - SENHORA DAS ÁGUAS
YEMANJÁ

SOBERANA DAS ÁGUAS

YEMANJÁ é considerada mãe de todos os demais ORIXÁS OGUM, XANGÔ, OBÁ, OXOSSI e OXUM que nasceram de caso ilícito que teve com IFÁ. NANÃ como vimos, é mãe de OMULU e OXUMARÉ. YEMANJÁ, por sua vez, filha de OLODKUN, ORIXÁ masculino em BENIN, ou feminino em IFÉ, sempre do mar. No Brasil, é muito venerada, e seu culto tornou-se quase independente do CANDOMBLÉ. É representada como uma sereia de longos cabelos pretos.

Rege a maternidade, e é a mãe dos peixes que representam fecundidade. Seu dia à sábado. Nas grandes "obrigações", são oferecidos cabra branca, pata ou galinha branca.

Gosta muito de flores e é costume oferecer-lhe sete rosas brancas abertas, que são jogadas ao mar para agradecimento.

Sua cor é a branca com azul. Usa um ADÉ com franjas de miçangas que esconde o rosto. Leva na mão o BÉBÊ -- leque ritual de metal prateado de forma circular, com uma sereia recortada no centro.

0 tipo psicológico dos filhos de YEMANJÁ é imponente, majestoso e belo, calmo, sensual, fecundo e cheio de dignidade e dotado de irresistível fascínio (o canto da sereia).

As filhas de YEMANJÁ são boas donas de casa, educadoras pródigas e generosas, criando até os filhos de outros (OMULU).

À deusa das águas recorrem as mulheres que não conseguem engravidar.

Porque é Iemanjá quem controla a fertilidade, simbolizada em seu corpo robusto, forte, em seus seios volumosos e na aparência sensual.

Qualidades, aliás, de todas as suas filhas, que se revelam excelentes como donas de casa, educadoras e mães. Não perdoam facilmente, quando ofendidas.

São possessivas e muito ciumentas. Embora se mostrem tranquilas a maioria do tempo, podem se tornar verdadeiras feras quando perdem a paciência.

Mais do que isso, não perdoam ofensas com facilidade. Intrometem-se tanto na vida dos familiares que chegam a sufocar.

Mas a intenção é sempre das melhores.

YEMANJÁ, por presidir a formação da individualidade, que como sabemos está na cabeça, está presente em todos os rituais, especialmente o BORI.

O mais popular e universal de todos os orixás das àguas: Iemanjá (nagôs), Dandalunga (angolas), Kaiala (congos); também chamada Janaína e Dona Janaína, Princesa de Aiucá e, nos candomblés-de-caboclo, Sereia Mukunã.

REGÊNCIAS

AXÉ
Conchas e pedras marinhas, numa vasilha de porcelana azul. Insígnias: uma espada de folha-de-flandres e uma espécie de leque circular, também de folha-de-flandres, com adornos e, no centro, uma sereia recortada.

NATUREZA
mar, foz de rios, enseadas, baías.

METAL
prata

PEDRA
água-marinha

PERFUMES
Fleur de Rocaille, lírio, Syntoma.

COMO USAR
passar no corpo todo antes do banho de mar, ou tomar banho de sal grosso, lavar-se e passar um a cada sábado.

COR
azul-claro e prata.

COLAR
contas de vidro transparentes, ou fio de miçangas pingo d’água lavado em água de águas marinhas.

SACRIFÍCIOS: cabra, galinha, conquém (galinha-d’angola) e pato. Gosta de acaçá e de milho branco cozido (ebó) com azeite, cebola e sal.

DIA RITUAL: sábado, juntamente com Oxun.

FESTA
2 de fevereiro, dia de Nossa Senhora de Navegantes, com quem está sincretizada.

SAUDAÇÃO
odôiá!

YEMANJÁ NA UMBANDA


A linha de Iemanjá governa as legiões seguintes: Sereias (Oxun), Ondinas (Nanã Buruku), Caboclos do Mar (Indaiá), Caboclos dos Rios (Iara), Marinheiros (Tarimá), Calungas (Calunguinha) e Estrela Guia (Maria Madalena).

Suas cores são o branco e o azul. As oferendas a Iemanjá constam de flores de cor branca – rosas, cravos, lírios, palmas-de-santa-rita – perfumes, moedas de niquel, sabonete pequeno e outros agrados, que são deixados na praia, junto do mar, ou colocados num barquinho, que é solto nas ondas. A bebida das obrigações é champanhe, frequentemente democratizada como cidra espumante.

Ervas Xamânicas


Enviado por Beth Bear,
beijos
Sílvia


Compartilhando...
Purificação com Ervas


Todos os caminhos espirituais tem rituais de limpeza e purificação.Antes que uma pessoa possa passar por uma sessão de cura, ou curar outra, deve limpar-se de todos os sentimentos maus, pensamentos negativos, espíritos maus ou energia negativa . Limpeza física e espiritual ajuda as energias curativas a virem desobstruídas.
Homens de Conhecimento dizem que toda a cerimônia, grupal ou individual, deve ser feita de bom coração, de modo que possa rezar, cantar, dançar de maneira sagrada, ajudada por bons espíritos. São várias as formas de purificação e limpeza: fumaça, banhos, passes, alimentação, recolhimentos, calor, etc.
A Fumaça de limpeza é a mais antiga e é também a mais popular do meio xamânico, para purificar pensamentos, sentimentos e espíritos. O efeito é sempre melhor, se utilizarmos o material apropriado, conchas e turíbulos com carvão.
Apenas por vivenciar nosso dia-a-dia podemos atrair energias, não procuradas, para achar um lugar em nossos corações. As frustrações, ciúmes, raiva, inveja, etc, que atacam os humanos. Então é necessário limpar a nós mesmos de tempo em tempo, e, mais especialmente, antes de irmos para um trabalho com qualquer poder medicinal. Nossos irmãos verdes, as plantas, tem o poder de limpar o coração,mente, corpo, espírito. A fumaça restabelece equilíbrio e harmonia transformando a energia através do fogo e purificando com essência de uma planta. Cria um processo físico, pensamento externo, espelho interno ou processo espiritual de equilíbrio e restauração de harmonia.
Muitas plantas são usadas para este fim. As mais conhecidas aqui no Brasil são as famosas ervas da Jurema : alecrim, arruda, alfazema, guiné, benjoim e outras. Vamos conhecer algumas de outras culturas :





Cedro

Leva nossas preces ao criador, evoca bons espíritos, queima as energias negativas e invoca as positivas.
O cedro foi a árvore para rituais mágicos de limpeza praticados na Mesopotâmia. O aroma do cedro proporciona clareza mental, gera auto-confiança e fé durante fases difíceis da vida. Os egípcios e o povo da Mesopotâmia, usavam o cedro para ter sonhos detalhados que poderiam ser úteis para encontrar soluções difíceis.
O cedro é bom para acompanhar meditações e reflexões.
O espírito do cedro é considerado muito antigo e sábio por tribos do Pacífico Noroeste.
É da árvore da vida e é queimado para expulsar forças negativas.







Copal


Era usada ritualisticamente por séculos. Os pedaços cristalizados da resina copal são colocados no carvão de lenha ardente que produz um fumo grosso, doce. A resina do Copal é queimada em cerimônias de proteção, limpeza e de purificação. A resina é extraída de um pinheiro que cresce no México.
Segundo as antigas lendas dos Maias, o copal foi extraído da árvore da vida que o Deus da Terra, presenteou para a humanidade em forma do sangue vital. É muito procurada por diversas tribos indígenas da América Central, fazendo parte de todas as rituais xamânes. No México conhece-se pelo menos três tipos de copal legítimo.
Copal negro possui um aroma levemente seco e acre, enquanto o copal branco é comparável com a resina de olíbano, entretanto, é considerado menos




Junípero


Segundo Eugênio Carlos, para os nativos americanos, Junípero foi uma das plantas mais usadas para a queima de incensos.Eles usavam a ponta dos galhos. Junípero cria uma fragância quente e doce,ela fortalece,cura,acentua e limpa. Os nativos americanos ainda usam Junípero para dar boas vindas aos hóspedes e para dar suporte quando realizam algumas cerimônias ,usam também para limpar animais(cavalos) e carros.
É muito usado quando se fazem orações ou cânticos sagrados. Sua fragância expande a mente, cria e expande espaços internos e aclara. É considerada uma árvore sagrada muito poderosa,que pode recarregar as energias internas e externas dos lugares.Conhecida como "A árvore da vida",textos antigos falam que "onde quer que eu tenha a fragância do junípero,o Diabo não pode ser encontrado".





Lavanda
É nativa da europa, frequentemente utilizada para convidar os espíritos
O nome pode ser derivado do latim lavare = lavar ou lavandula = azulada.
Entre os egípcios, ela foi usada para mumificação.
Há uma lenda de que as roupas de Jesus cristo foram colocadas num arbusto de lavanda e adquiriu a fragrância. Alguns cristãos acreditam que usar perfume de lavanda é uma salvaguarda contra o mal.
Moa para acalmar relacionamentos




Mirra.

Esta resina ajudar a um manter um estado do alinhamento Também conecta um ao espírito da juventude. Para espiritualidade, magia , meditação, paz, proteção, purificação
Tem sido utilizadoa desde a antiguidade para inspirar oração e meditação e para fortalecer e revitalizar o espírito.
Tem uma qualidade misteriosa e sedutora. Auxilia na expansão da consciência, da realidade espiritual por traz do cotiano.
Acalma os medos e as incertezas com relação ao futuro. Amapilifica a força e coragem, aquece as emoções.


Olíbano - Frankincense


Juntamente com a Mirra, já foi considerado valioso como o ouro (Ouro, incenso e mirra). Usou-se para embalsamar os corpos dos faraós . Esta resina é usada para limpeza e para proteger a alma. Usado para suavizar depressão e promover clarividência.
Segundo Eugênio Carlos do Saber da Terra, queimar a resina de Olíbano invoca uma sensação de prazer e eleva nosso Espírito para um sentimento aconchegante e de prazer. Há séculos o Olíbano é queimado.
Ele nos faz lembrar a maravilhosa historia dos Três Reis magos trazendo presentes de Olíbano mirra e ouro para o bebê Jesus como reconhecimento de sua divindade!
Esses presentes trazidos pelos Reis magos eram incensos altamente valiosos por sua fragrância e efeito em nosso Espírito.A resina de Olíbano tem algo de especial ela fala de séculos de devoção, inspiração Espiritual beleza harmonia e fé.Nossa resina de Olíbano é de primeira qualidade que vem da Somália - África, com um aroma que reconhecemos o fundo de nossa alma.
Olíbano e Mirra formam um par bem harmonioso. Mirra representa os princípios da feminilidade, à resina de Olíbano de boa qualidade é atribuída as forças masculinas. A resina amarga e aromática da Mirra desenvolve, durante a queima, um aroma doce e balsâmico





Palo Santo (Pau-Santo)
Conhecido também como a madeira sagrada é um incense aromático de madeira natural usado por séculos pelos Incas como um remédio espiritual para purificação e limpeza e para proteção contra maus espíritos.
Segundo Camilo Anguita, a origem do o origem do Palo Santo é muito antiga. Era pelos Incas ems eus rituais e cerimõnias espirituais. Para que a madeira de palo santo tenha ótimas qualidadades a árvore deve estar morta há ao menos dez anos por causas naturais, tornando-o ecologicamente correto.
Está comprovado que se corta uma madeira do bosque, ela quase não tem aroma.
É usado frequentemente em cerimônias de Ayahuasca.






Pétalas de Rosa

Produz um forte, quente e aromático perfume. Excelente para meditação, adivinhação.
Aumentae a capacidade psíquica e conecta-se coms seres de outras dimensões, possibilitando a comunicação
Também são tradicionalmente ligadas ao amor, conferindo paz, estimulando apetites sexuais,para encontrar a beleza.






Salvia Branca
Para limpar maus sentimentos, más influências, para bloquear a entrada de maus espíritos nas .
Purifica os objetos cerimoniais. Eugenio Carlos acrescenta que os índios norte-americanos dizem que a fumaça da sálvia branca é para purificar o corpo, lugares e objetos pessoais. Por esta razão ela é muito sagrada para muitas tribos.
Algumas tribos colocam pedaços de sálvia branca na fogueira na convicção de que a planta purifique o próprio fogo.
Em algumas cerimônias dos índios Dakota, um galho de sálvia branca é colocado atrás da orelha para que os espíritos possam reconhece-lo.
Oferece a força, a sabedoria e a clareza da finalidade





Sweetgrass + Grama Doce

Vem está trançada como uma trança de cabelos.
É queimada geralmente encostando em brasas ou pedras quentes.
A grama doce traz os espíritos bons e nas influências boas.
Como com cedro, grama doce ardente leva preces até o criador .
Eugênio acrescenta que produz uma agradável fragância luminosa. Ela limpa a atmosfera e é usada para cerimônias de limpeza. Segundo os nativos americanos,os bons espíritos,(aqueles que nos ajudam),adoram o aroma da "grama doce".
Sweet grass,é usada para atrair energias positivas durante cerimônias de cura,para gerar uma conecção positiva entre aluno e professr,para limpar um espaço ou para visualizações. Tradicionalmente,os nativos americanos,usavam antes a sálvia,para limpar os espaços dos maus espíritos que causavam que causavam as doenças.
Ela é uma erva para alma, gera um clima agradável de limpeza, de relaxamento,ajudando a encontrar serenidade,luz e cura. Durante uma cerimônia,conecta as pessoas á volta do fogo com as energias positivas das plantas.

Representa a bondade e é queimada para permitir que os espíritos bons entrem.






Sagebrush
É considerada uma das plantas mais sagradas da Mãe terra para alguns nativos norte americanos.
É uma espécie de artemísia, é ideal para limpeza e purificação de quartos e espaços de casa e escritórios, criando uma aura protetora.
É queimada para expulsar; o mal, sentimentos e pensamentos negativos.
Para manter as entidades negativas afastadas. Alguns esfregam no corpo durante a tenda-do-suor.







O Sândalo

Usado há mais de 4.000 anos para cura, proteção e para elevação espiritual .

Os místicos antigos usavam para estimular e ativar os centros psíquicos e os ajudar na meditação, para acalmar os nervos, ativar a sexualidade.
Eugenio Carlos acrescenta que no passado, os indianos verificam que as pregas não atacavam a árvore do sândalo,por essa razão,é considerada a árvore da vitalidade. Na medicina Ayurveda,(a ciência da longevidade),o sândalo é usado para tratar problemas respiratórios,de visícula, rins, inflamações e problemas de pele. É usado também para dor de cabeça e tem uma forte substância antibactericida.
Sua fragância gera uma atmosfera calma.É usado quando se busca paz interior, equilíbrio, em momentos de reflexão, para pessoas com stress e com um estilo de vida muito movimentado. Dissolve a tensão e é um convite para que sua imaginação flua em uma maravilhosa e rejuvenecedora viagem.
Auxilia no conhecimento de encarnações passadas.
Traz coragem e confiança para enfrentar momentos de mudança rápidas
proporciona tranquilidade e alinhamento.






Sangue de Dragão (Damemenorops draco)

A Árvore do Dragão” cresce nas Ilhas Canárias. A Palmeira “Sangue de Dragão” encontra-se na Índia Oriental, Java e Borneo. Ambas as plantas exalam das frutas o chamado “Sangue do dragão”.
Quando a resina líquida é extraída através da corte da casca, exsuda um liquido vermelho, semelhante de sangue verdadeira. A resina queimada é empregada para receber a proteção dos Deuses, emitindo um aroma seco e de tempero.
Atua em misturas de defumação como agente de liga de óleos essenciais com resinas.
Profundo em sua ação emocional. Abre o coração e clareia o espírito.



Tabaco
Sem dúvida uma unanimidade em todas as práticas xamânicas, para purificação, limpeza, proteção, elevação, agradecimento aos espíritos da natureza, exorcismo, bênçãos, passes.
O tabaco é uma planta de grande ajuda. Utilizada para defumação ou no Cachimbo Sagrado, ele pode, trazer novos começos para quem quer que o esteja usando ou para quaisquer projetos ou lugares para o qual ele é queimado
Acredita - se que o Tabaco abre a porta entre a Terra e o Universo do Espírito é usada em muitas maneiras pelos povos nativos. Se lhe oferecerem tabaco ritualisticamente, aceite, pois esse ato é sagrado .
Para limpeza o tabaco não precisa ser fumado, pode ser colocado em conchas, turíbulos, etc



Yerba Santa (Eriodicyon californicum)

Esta planta de poder é empregada em muitas tribos indígenas para o fortalecimento e cura. As folhas secas foram usadas também como tabaco no cachimbo da paz.
O aroma da erva queimada assemelha-se de artemísia e resinas de pinheiros, com quais cria notas aromáticas muito harmoniosas. Seu aroma dá às misturas uma nota quente.
Ela ajuda nos estados de angústia e transmite força e poder.
A yerba santa limpa o ambiente e pessoas das energias negativas e restaura uma barreira de proteção ao nosso redor.
As folhas podem ser colocadas em volta da cama de pessoas doentes para proteção e cura.
Devido a estas qualidades a hierba santa pode ser queimada como incenso sagrado para criar um ambiente de proteção paz e amor

O Sweetgrass,Cedro e Saliva Branca juntas, são consideradas pelos nativos americanos, como a mais completa purificação. As ervas são depositadas em uma concha (abalone), que representa o Elemento Água, onde pedimos purificação do corpo emocional. A própria erva representa o Elemento Terra onde pedimos purificação do corpo físico e dos caminhos para prosperar na matéria. O* Elemento Fogo* é representado por ele próprio no momento da queima, nas brasas, e purificamos nosso corpo espiritual . Uma pena de ave, ventila e espalha a fumaça, representando o Elemento Ar e purificando nosso corpo mental, nossos pensamentos.
Muitas pessoas falam aos espíritos da planta :
- Espírito do Cedro. Possa eu, ser limpo de pensamentos negativos e sentimentos.
- Possa meu coração ser puro novamente. Que eu consiga caminhar em equilíbrio e harmonia.

- Espírito da Saliva ! Limpe-me de raivas do......Pode-se pedir limpeza para medos, aborrecimentos, duvidas, preocupações, etc.
Algumas purificações são feitas com bastões de ervas, nas próprias brasas da fogueira cerimonial e em turíbulos, com resinas, pó de sândalo, tabaco e Pau-Santo. O Tabaco, além da purificação, é usado para dar agradecimentos. É oferecido às pessoas idosas na troca para o conselho e a informação. É oferecido também aos espíritos e guardiões

Muitas outras ervas são usadas ao redor do mundo para esse fim. O simbolismo da cerimônia com fumaça é a purificação do espaço e dos participantes, banindo todas as energias não desejadas. Uma boa pratica de purificação também envolve os instrumentos cerimoniais. Enquanto as ervas vão se iluminando o aroma perfumado alcança suas narinas. As nuvens de fumaça levantam com a pena . O Corpo fica coberto com a fumaça perfumada, respira-se profundamente, inalando os efeitos. Enquanto a fumaça abaixa em torno de seu corpo, afeta sua pele e sentidos. Você percebe ficar relaxado, limpo, abençoado mesmo. Sua vida interna é tocada; suas emoções e memórias agitam.
Os pensamentos acalmam, inicia-se um relacionamento diferente com seus arredores e cria-se o ambiente propício para o trabalho espiritual.



A defumação na História



Por Eugênio Carlos

Ninguém sabe quando a humanidade começou a usar as plantas aromáticas. Estamos razoavelmente seguros de que os sentidos do homem antigo eram bem mais aguçados, e o sentido do olfato foi crucial para sua sobrevivência. Há evidência do período Neolítico de que ervas aromáticas eram usadas em culinária e medicina, e que ervas e flores eram enterradas com os mortos. A fumaça ou fumigação foram provavelmente um dos usos mais antigos das plantas, como parte de oferendas rituais aos deuses. Era provavelmente notado que a fumaça de várias plantas aromáticas tinha, entre outros, efeitos alucinógenos, estimulantes e calmantes. Gradualmente, um conjunto de conhecimentos sobre as plantas foi acumulado e passado a centenas de gerações de xamãs.
Os seres humanos tem uma ligação muito forte com as plantas. As plantas aromáticas têm sido honradas de um modo especial desde os tempos antigos. Eram utilizadas em rituais religiosos e mágicos, assim como nas artes curativas. Estas três práticas eram fundamentais para a existência humana (ainda hoje continuam sendo).
As grandes civilizações desaparecidas do Oriente Médio e do Mediterrâneo glorificavam os aromas, que faziam parte de suas vidas. Creio que conhecer um pouco da história dos aromas e da defumação mágica, é uma introdução adequada para sua prática.



Descendentes de Atlântida

Há 4000 anos, existia uma rota de comércio onde se cruzavam as culturas mais antigas do Mediterrâneo e da África. Através dela, acontecia o comércio e troca de diferentes mercadorias como por exemplo: ouro, olíbano, temperos e especiarias em geral; conseqüentemente, trocavam conhecimentos de suas diferentes culturas. E foi bem no meio desta rota que nasceu a maior civilização desta época: "O Egito".
A antiga civilização do Egito era devotada em direcionar os sentidos em direção ao Divino. O uso das fragrâncias era muito restrito. Inicialmente, sacerdotes e sacerdotisas eram as únicas pessoas que tinham acesso a estas preciosas substâncias. As fragrâncias dos óleos eram usadas em perfumes, na medicina e para uso estético, e ainda, para a consagração nos rituais. Eram queimados como incenso. Sobre as paredes das tumbas dos templos antigos perdidos no deserto, há um símbolo que aparece com freqüência que parece uma fumaça que sai dele mesmo. Isto confirma que no Egito se utilizava o incenso desde tempos antigos. Quando o Egito se fez um país forte, seus governantes importaram de terras distantes incenso, sândalo, mirra e canela. Esses tesouros aromáticos eram exigidos como tributo aos povos conquistados e se trocavam inclusive por ouro. Os faraós se orgulhavam em oferecer às deusas e aos deuses enormes quantidades de madeiras aromáticas e perfumes de plantas, queimando milhares de caixas desses materiais preciosos. Muitos chegaram a gravar em pedras semelhantes façanhas.
Os materiais das plantas aromáticas eram entregues como tributos ao estado, e doados a templos especiais, onde se conservavam sobre altares como oferendas aos deuses e deusas. Todas as manhãs as estátuas eram untadas pelos sacerdotes com óleos aromáticos. Queimava-se muito incenso nas cerimônias do templo, durante a coroação dos faraós e rituais religiosos. Queimava-se em enterros para extrair do corpo mumificado os espíritos negativos.
Sem dúvida o incenso egípcio mais famoso foi o Kyphi. O Kyphi se queimava durante as cerimônias religiosas para dormir, aliviar ansiedade e iluminar os sonhos.



Os Sumérios e os Babilônios

É difícil separar as práticas destas culturas distintas já que os Sumérios tiveram uma grande influência dos babilônios, e transcreveram muita da literatura dos seus antepassados para o idioma sumério. Sem engano sabemos que ambos os povos usavam o incenso. Os Sumérios ofereciam bagas de junípero como incenso à deusa Inanna. Mais tarde os babilônios continuaram um ritual queimando esse suave aroma nos altares de Ishtar.
Tudo indica que o junípero foi o incenso mais utilizado, eram usadas outras plantas também. Madeira de cedro, pinho, cipreste, mirto, cálamo e outras, eram oferecidas às divindades. O incenso de mirra, que não se conhecia na época dos Sumérios foi utilizados posteriormente pelos babilônios. Heródoto assegura que na Babilônia queimaram uma tonelada de incenso. Daquela época nos tem chegado numerosos rituais mágicos. O Baru era um sacerdote babilônio esperto na arte da adivinhação. Acendia-se incenso de madeira de cedro e acreditava-se que a direção que a fumaça levantava determinaria o futuro, se a fumaça movia-se para a direita o êxito era a resposta, se movia-se para a esquerda a resposta era o fracasso.



Os gregos e romanos

Estes povos acreditavam que as plantas aromáticas procediam dos deuses e deusas. O povo chegou a consumir tantos materiais aromáticos para perfumar-se que no ano de 565 foi decretada uma lei que proibia utilizar essenciais aromáticas pelas pessoas com temor de não ter suficiente incenso para queimar nos altares das divindades.
Nativos americanos
Os nativos americanos vivem em harmonia com a terra, reverenciam-na como geradora de vida. Os nativos americanos desde muito tempo tem conhecido o valor e poder de cura das plantas de poder, usadas em tendas de suor, dança do tambor etc. Queima se sálvia, cedro e resinas para limpeza de objetos de poder. É usada para a saúde e o bem estar de sua tribo.
Incenso do Templo
Desde épocas mais antigas, as substâncias aromáticas naturais de plantas tem um papel vital na vida diária dos povos. Estas ligações vitais entre povos e plantas perderam-se, e muitos de nós perdemos o toque com a terra e com nosso próprio estado de saúde.
De acordo com o Zohar, oferecer incenso é a parte a mais preciosa do serviço do templo para os olhos do grande deus. Ter a honra de conduzir este serviço, é permitido somente uma única vez na vida. Diz-se que quem teve o privilégio de oferecer o incenso está recompensado pela sorte com riqueza e prosperidade para sempre, neste mundo e no seguinte.

Continuando com Eugênio :
A defumação é essencial para qualquer trabalho num terreiro de Umbanda, bem como nos ambientes domésticos. Este ritual é praticado com o objetivo de purificar o ambiente (terreiro/residência), bem como o corpo do médium e da assistência (pessoas que irão participar da gira), retirando as energias negativas e preparando o local para que a gira possa ocorrer em harmonia.
Pode-se aproveitar o know-how pego pela Umbanda para fazer uma limpeza em sua própria casa. Para fazer uma defumação correta só precisa de carvão em brasa dentro de um turíbulo (incensório pequeno, geralmente feito de barro). Jogue as ervas secas dentro (ou na parte de cima, dependendo do modelo de incensório) e vá defumando toda a casa: se for para limpeza espiritual, defume sempre de dentro para fora; se for para atrair bons fluidos e dinheiro, defume de fora para dentro. Os resíduos da defumação podem ser jogados no rio, no lixo, no terreno baldio, em qualquer lugar bem longe da casa, na encruzilhada, etc. (isto vai variar com a bula da defumação). Várias pessoas também aconselham seguir a posição da lua. Ex: para quebrar feitiço e limpeza em geral, fazer na lua minguante. Nas luas nova, crescente ou cheia, fazer a defumação para prosperidade, amor, etc.
Existem dois tipos de defumação:


DEFUMAÇÃO DE DESCARREGO
Serve para afastar seres do baixo astral e dissipar larvas astrais que impregnam qualquer ambiente, tornando-o carregado e ocasionando perturbações nas pessoas que neles se encontram. Ervas utilizadas:
ARTEMíSIA VULGARIS : Esta erva pode utilizado para estimular energia psíquica e sonhos proféticos.Os lakotas acreditam que quando artemisia (Mugwort) é queimada faz com que os maus espíritos fogem
ALECRIM DO CAMPO: defesa dos males; tira inveja e olho gordo, protege de magias.
ARRUDA: descarrego e defesa dos males, proteção e remove o efeito de feitiços.
BELADONA: limpeza de ambientes
BENJOIM RESINA e CANELA: limpa o ambiente e destrói larvas astrais.
CARDO SANTO: defesa, quebra olho gordo.
CIPÓ CABOCLO: elimina todas as larvas astrais do ambiente.
FOLHA DE BAMBU: afasta vampiros astrais.
GUINÉ: atua como poderoso escudo mágico contra malefícios.
INCENSO: tanto a erva como a resina (pedra) são bons para limpeza em geral.
MIRRA: descarrego forte, afasta maus espíritos.
PALHA DE ALHO: afasta más vibrações.
Modo de usar: varra a casa ou local a ser defumado; acenda uma vela para seu anjo da guarda; depois, acenda um braseiro e coloque três tipos diferentes de ervas. Defume de dentro para fora, mantendo o pensamento firme de que está limpando sua casa, sua família e seu corpo.


DEFUMAÇÃO LUSTRAL
Além de afastar alguns remanescentes astrais que por ventura tenham se mantido após a defumação de descarrego, esta defumação atrai para o ambiente correntes positivas das entidades que se encarregarão de abrir seus caminhos. Ervas usadas:
ABRE CAMINHO: abre o caminho atraindo bons fluidos dando força e liderança.
ALFAZEMA: atrativo feminino, deixa o lar mais suave, limpa, purifica e traz o entendimento.
ANIS ESTRELADO: atrativo; chama dinheiro.
COLÔNIA: atrai fluídos benéficos.
CRAVO DA ÍNDIA: atrativo; chama dinheiro e dá força à defumação.
EUCALIPTO: atrai a corrente de Oxossi.
LEVANTE: abre os caminhos do ambiente.
LOURO: abre caminho, chama dinheiro, prosperidade e dá energia ao ambiente.
MADRESSILVA: desenvolve a intuição e a criatividade; favorece também a prosperidade.
MANJERICÃO: chama dinheiro.
ROSA BRANCA: paz e harmonia.
SÂNDALO: atrativo do sexo oposto e também ajuda a conectar com a essência Divina.
Modo de usar: esta defumação deve ser feita da porta da rua para dentro do ambiente.
Na limpeza evite escolher ervas com funções diferentes, por exemplo: Levante, Louro e Cardo Santo, pois duas estão abrindo o caminho e a terceira (Cardo Santo) é para limpeza. Isso pode não combinar, por isso primeiro defume a casa fazendo somente a limpeza, de dentro para fora; depois, use as ervas para atrair coisas boas (de fora para dentro).
Quando for fazer defumação de café e açúcar, não faça com os 2 juntos; primeiro, defume de dentro para fora com o café, jogue as brasas e os resíduos bem longe; depois, defume de fora para dentro com o açúcar.
Quando for usar Incenso, Mirra e Benjoim, coloque uma quarta erva para limpeza.
Muitas pessoas não podem defumar a casa porque o marido, mulher ou vizinhos não gostam da defumação. Então, para uma defumação mais simples e funcional, faça-a com incensos, seguindo a orientação abaixo:



PARA LIMPEZA DE AMBIENTE COM INCENSOS
Encha um copo virgem (de vidro) de arroz cru, coloque 8 varetas de incenso, podendo ser de Arruda, Alecrim, Cânfora, Eucalipto, Madressilva ou Pimenta; passe este copo na casa inteira (começando de dentro para fora da porta de entrada) e quando chegar na porta de entrada, deixe-os queimando; no término, jogue todos os resíduos (arroz e o pó do incenso) na água corrente; o copo guarde para a próxima defumação.



Tabela de incensos:

Limpeza: Olibano, elemi, copal, cravo da índia, junípero, louro cedro, lavanda, alecrim, salvia branca, sangue de dragão, sweetgrass.
Coragem: Elemi, sangue de dragão, bálsamo do Peru, olibano, palusanto, louro, lavanda, cedro, pinho, junípero, salvia branca, tomilho.
Criatividade : Anis estrelado, copal, cravo da índia, mastic, elemi, breuzinho, olibano, capim limão, junípero.
Relaxar: Lavanda, sândalo, vetiver, sandarac, nardo.
Meditação & oração: Sândalo, mirra, olibano, mastic, copal, nardo, Ladano, sangue de dragão, damar, aloés madeira.
Sono: Sândalo, nardo, galbano, mirra, salvia branca, lavanda.
Sonhos: Aloés madeira, mastic, louro, lavanda.
Amor: Sândalo, aloés copal, beijoim, mirra, vetiver, cássia, nardo, rosa patchuli.